sábado, 5 de dezembro de 2015

Anitta - A Menina Dança


Campanha de final de ano da Arezzo 
Anitta - A Menina Dança
Composição: Moraes Moreira / Galvão

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

“A Rezadeira” foi eleita a melhor música do Festival Edésio Santos

Além da premiação em dinheiro os vencedores também foram contemplados com troféus que levam nomes de canções do homenageado João Gilberto.
 Por Paulo Carvalho/SECJU


A 18ª edição do Festival Edésio Santos da Canção elegeu como a melhor música, a composição ‘A REZADEIRA”, de Rodolfo Elias Minari, do Rio Branco-AC que ficou com o primeiro lugar. A canção foi interpretada por Rafaela Melo.

O prêmio de segundo lugar foi para “UMA OUTRA CANÇÃO”, de Alexandre Leão e Manuca Almeida, de Juazeiro/Salvador,  interpretada por Andrezza Santos que também levou o prêmio de melhor intérprete do Festival.

A canção “A LENDA DO PATAÚ”, de Reinivaldo Pinheiros (Ouricuri-PE) levou o terceiro lugar. A melhor música local ficou com “CORAÇÃO DO SERTÃO”, de Juliana Genovez, e o prêmio júri popular foi para a canção “O BASTANTE PRA DURAR”, de Pedro Mateus Bandeira (Juazeiro-BA).
 Cada categoria do Festival Edésio Santos da Canção recebeu18 º Festival Edésio Santos da Canção 2015 prêmios em dinheiro e troféus que levam nomes de canções consagradas na voz de João Gilberto, o grande homenageado da 18ª edição do festival, com o tema: “Do Cais ao Japão, no tempo de João”, e que também ganhou uma estátua, inaugurada na mesma noite pelo prefeito de Juazeiro Isaac Carvalho.

Um bom público compareceu à noite final do Festival, nas imediações do Vaporzinho. Teve até torcida organizada para as concorrentes finalistas do festival. E o público também pôde participar escolhendo a sua canção favorita, através do voto popular.

Para a artesã Iasmine França, que acompanhou todas as noites do Festival Edésio Santos, foi uma honra poder participar de uma festa tão bem organizada, com excelentes músicas e intérpretes. “O Festival veio nessa edição com bastante concorrentes 18 º Festival Edésio Santos da Canção 2015talentosos e com composições de difíceis execuções. As apresentações de cada candidato com suas particularidades rítmicas e letras, fez um festival completo, diversificado e rico em suas apresentações”, disse, destacando também o trabalho da comissão organizadora. “A responsabilidade do júri foi muito grande, pois as escolhas não foram fáceis, porém, com bastante competência e conhecimento musical, obteve um brilhante resultado”, elogiou.
A artesã também fez referência ao show da cantora Miúcha, que na sua opinião foi histórico, um presente para Juazeiro. “O show da cantora Miúcha foi espetacular, a população juazeirense e região foram contempladas e privilegiadas em participar de um momento 18 º Festival Edésio Santos da Canção 2015único, ouvindo histórias sobre João Gilberto, Vinícius de Morais, Tom Jobim e também sobre a Bossa Nova, MPB e fatos relembrados pela mesma em Juazeiro”.

O secretário de Cultura e Juventude do município, Donizete Menezes, numa breve avaliação, demonstrou satisfação com a realização de mais uma edição do Festival Edésio Santos da Canção, e agradeceu ao poder público municipal, a todos os participantes, inclusive de outras localidades, e aos parceiros envolvidos direta ou indiretamente na realização do evento.

“Uma ação conjunta do governo municipal, do nosso prefeito Isaac Carvalho, a quem parabenizo em nome de toda a sua equipe, pelo trabalho excelente, desde a realização do festival e o seu desdobramento, até a inauguração da escultura de João Gilberto, com certeza de uma importância cultural valiosa, um marco para a nossa cidade”, destacou.

domingo, 11 de outubro de 2015

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Educar e ser Educador


Por Tião Rocha, antropólogo e pensador


1. Professor é aquele que ensina. Seu ofício é a ensinagem.

2. Educador é aquele que aprende. Seu ofício é a aprendizagem.

3. Educação é um fim, escola é um meio. (Os meios devem estar sempre a serviço dos fins a que se destinam).

4. Educação é algo que acontece somente no plural.

5. Não existe educação no singular. O “eu” sozinho não educa.

6. Para que haja educação são necessários, no mínimo, duas pessoas – o eu e o outro – (ou o professor e o aluno).

7. Educação não é o que eles, individualmente, trazem, mas o que eles trocam.

8. A gente só troca o que tem pelo que ainda não se tem. Isso se chama aprendizagem. (quem troca seis por meia dúzia, está perdendo tempo).

9. Educação, portanto, pressupõe aprendizagem. E a aprendizagem só ocorre se houver troca (do tipo ganha-ganha).

10. É possível fazer educação sem escola? Sim!

11. É possível fazer boa educação debaixo do pé de manga? Com certeza!

12. Mas é im-pos-sí-vel fazer boa educação se não tivermos bons educadores.

13. Só os bons educadores produzem a boa educação (o contrário, infelizmente, também é verdadeiro: os maus educadores produzem “caca” educacional).

14. O bom educador é aquele que cria uma pedagogia própria, autoral (e não fica apenas falando “entre aspas” e/ou citando pés de página).

15. O bom educador é aquele que aprende mais do que ensina, porque aprende a ver, ler e usar “o lado luminoso” de seus alunos e olhar sua comunidade pelo “lado cheio do copo”.

16. O bom educador não mede carência, mas potência. Deixa de ser um dependente do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e faz da sua escola a guardiã do Índice de Potencial do Desenvolvimento Humano (PPDH) dos seus alunos e sua comunidade.

17. Uma escola que se deseja excelente é aquela que identifica, mede e avalia o IPDH de seus alunos e comunidade e o utiliza pela sua capacidade de Acolhimento, Convivência, Aprendizagem, e Oportunidade (ACAO).

18. O educador, a nível de excelência, é aquele que constrói seu Plano de Trabalho e Avaliação (PTA) a partir de MDIs: – de quantas Maneiras Diferentes e Inovadoras eu posso: alfabetizar uma criança, não perder nenhum aluno, tirar um jovem da linha de tiro, mobilizar uma comunidade para zerar o analfabetismo, fazer da escola um centro de excelência, construir uma cidade educadora etc.

19. Toda escola pode transformar esses desejos e vontades em realidade plena. Basta querer e investir suas energias e seu “lado luminoso” nessas causas, porque elas fazem parte de sua governabilidade e não necessitam ser “terceirizadas”.

20. Uma escola, a nível de excelência, é aquela que “não deixa nenhum aluno para trás” ou que “não perde nenhum aluno” ou que garante a todos, sem exceção, a aprendizagem de tudo o que todas as crianças e jovens precisam e podem aprender, no seu tempo e no seu ritmo, para serem os melhores e mais felizes cidadãos do mundo.

Contrato de professora exigia: 'Não beber cerveja, vinho ou uísque’

Circula na inFernet um "Contrato de Professores" de 1923, mas direcionado exclusivamente às "senhoritas". Um verdadeiro show de machismo (institucionalizado): determina que a tal "senhorita" que assinasse o acordo para dar aulas num período de oito meses comprometia-se a, entre outras barbaridades, "não se casar" (!), "não andar em companhia de homens" (!!), "ficar em casa entre às [sic] 8h da noite e às [sic] 6h da manhã" (!!!), "não passear pelas sorveterias" (!!!!) e "não abandonar a cidade (...) sem permissão do presidente do Conselho de Delegados" (!!!!!). Mas não apenas isso. Também há cláusulas castradoras em relação ao fumo e à manguaça. Confiram:
Se a imagem dificulta a leitura, reforço os itens 6 e 7: "Não fumar cigarros. Este contrato ficará automaticamente anulado e sem efeito se a professora for encontrada fumando" e "Não beber cerveja, vinho ou uísque. Este contrato ficará automaticamente anulado e sem efeito se a professora for encontrada bebendo cerveja, vinho ou uísque". O contrato ainda arrematava: "Não viajar em carruagem ou automóvel com qualquer homem, exceto seu irmão ou seu pai". Se considerarmos que, de qualquer forma, uma professora já era, naquele tempo, mais independente e autônoma que as outras mulheres, fico imaginando as proibições "não escritas" às esposas e donas-de-casa da época. Impressionante.

Ps.: Segundo o leitor Renato, "este contrato é verdadeiro. Esta no livro “Trabalho docente e textos” (edição de 1995 da editora Artes Médicas, na página 68) de Michael Apple, sociólogo estudioso da área de currículo".

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Dia do Soldado


A Canção do Soldado é o segundo hino Brasileiro mais bonito, O primeiro é o Hino Nacional.

domingo, 23 de agosto de 2015

terça-feira, 18 de agosto de 2015

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Vapor Fantasma - Lenda do Velho Chico


Cultura Popular - LENDAS


DILMA: PESSOAL DO 'NÃO VAI DAR CERTO' NUNCA REALIZA

Usando um chapéu de vaqueiro, a presidente Dilma Rousseff entregou nesta sexta-feria, 14, em Juazeiro, norte da Bahia, 1.480 unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida; animada com recentes vitórias no campo político, Dilma garantiu que a atual crise econômica é passageira; “O Brasil, podem ter certeza, vai voltar a crescer, vai reduzir a inflação, o Minha Casa, Minha Vida 3 será lançado até o dia 10 de setembro, que significa mais 3 milhões de casas", anunciou; presidente voltou a criticar quem aposta na teoria do "quanto pior, melhor"; "Esse pessoal do não vai dar certo nunca vai conseguir realizar o que deve ser realizado", discursou; prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho (PCdoB), comemorou os investimentos de R$ 88 milhões nas obras; "É uma cidade nova sendo construída, planejada e estruturada, com todos os serviços sociais que o cidadão precisa próximo de sua casa”

Bahia 247 - A presidente Dilma Rousseff participou nesta sexta-feira, 14, em Juazeiro, região norte da Bahia, da entrega de 1.480 unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida. 

Animada com recentes vitórias no campo político e com a debelada do golpe, Dilma garantiu que a atual crise econômica é passageira. “E nessa travessia nós vamos fazer dar certo. O Brasil, podem ter certeza, vai voltar a crescer, vai reduzir a inflação, o Minha Casa, Minha Vida 3 será lançado até o dia 10 de setembro, que significa mais 3 milhões de casas, além das casas que já entregamos”, afirmou a presidente.

“A gente vence desafios com luta, otimismo e esperança. Com coração e determinação. Ninguém que olha para a dificuldade e fica com medo dela, vence. Nós sabemos que quando se começa a fazer uma coisa, tem muita gente que olha e fala: não vai dar certo. Esse pessoal do não vai dar certo, nunca vai conseguir realizar o que deve ser realizado”, discursou a presidente. 

Dilma lembrou que ainda no governo do ex-presidente Lula, quando iniciou o programa habitacional, “uma porção de gente disse: não vai dar certo”. “E deu certo. É óbvio que no início temos uma dificuldade aqui e outra ali. Mas com coragem, determinação, esperança e muita força no coração você faz dar certo”, completou.

A primeira etapa do Residencial Juazeiro, contou com investimentos de R$ 88,8 milhões. O empreendimento é destinado a famílias com renda de até R$1,6 mil. São casas sobrepostas e cada unidade é dividida em dois quartos, área de circulação, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes. Cada casa está avaliada em R$ 60 mil.

O condomínio possui infraestrutura interna e externa, com água, esgoto, drenagem, pavimentação, urbanização, iluminação pública, energia elétrica e será servido por transporte público. As famílias beneficiadas também contarão com escola municipal, unidade básica de saúde e centro de referência de assistência social, já em funcionamento, e com capacidade para atender cinco mil famílias.

Além das 1.480 unidades entregues nesta sexta, restam ainda 1.500 unidades a serem entregues em outras duas outras etapas do Residencial Juazeiro, totalizando 2.980 moradias, onde serão investidos R$ 179 milhões. A segunda etapa, com mil casas, está com 98% das obras concluídas, com previsão de entrega ainda este ano. A terceira etapa, com 500 casas, está com 50% das obras adiantadas. A estimativa é beneficiar 12 mil pessoas quando todas as unidades forem entregues.

O prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho (PCdoB), comemorou a entrega das casas e os benefícios que os novos moradores terão nas novas residências. “Essas unidades nascem dentro da nossa cidade todas estruturadas. É uma cidade nova sendo construída, planejada e estruturada, com todos os serviços sociais que o cidadão precisa próximo de sua casa”, afirma. 
Fonte: Brasil 247

domingo, 2 de agosto de 2015

sábado, 18 de julho de 2015

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Nova Creche na Cidade

Comemorando os 137 anos de Juazeiro da Bahia foi inaugurada, segunda-feira,13, a 14ª Creche, no bairro de João Paulo II. Presente o Prefeito Isaac Carvalhos, o Secretário de Educação e outras autoridades.
A 14ª Escola de Educação Infantil leva o nome da Profª Nélia de Souza Costa.
Nélia de Souza Costa
Natural e Juazeiro da Bahia, filha de Rosalina, Dona Rosa, e do Ex-Prefeito de Juazeiro, Ludgero de Souza Costa; a Sexta filha de uma prole de 7 irmãos. Nasceu em 10 de janeiro de 1937. Com sua família residiu por longos anos na Praça da Misericórdia.

Cresceu em meio a passeio nos jardins e retretas no Coreto da Praça Dr. José Inácio da Silva. Na Rua XV de Novembro passava dias e dias junto aos avós, Joana e Seu Belo da Venda. Fora uma criança ativa e irrequieta por natureza. Viveu em Juazeiro numa época em que a cidade interiorana oferecia uma educação Aristóteles Pires de Carvalho, o Ginasial no Edson Ribeiro, e em Salvador no Colégio Sofia Costa Pinto concluiu o ensino Normal. 

Detentora de uma visão emprendedora optou por morar em Feira de Santana, cidade que atendia plenamente os seus anseios de trabalho e pretensões educativas, tanto que, lá mesmo se formau em Contabilidade. Nélia Costa, mãe de Marluce e luiz Antônio Costa de Santana, e avó de 5 netos e 8 bisnetos. Uma mulher política, valente e altamente caridosa, e determinada nas ações voltadas ao social. 

Sua lembranças será sempre associada á solidariedade humana. Uma cidadã singular, que se fez presente em vários movimentos culturais, institucionais e revindicatórios, em prol de conquista para esta terra. 
A família Costa sente-se honrada e agradecida pela homenagem prestada à Nélia de Souza Costa, em ter o seu nome à frente de um estabelecimento educacional, que favorecerá a esses pequeninos estudantes de hoje, a oportunidade ímpar e futura de um ensino de qualidade.

Parabéns Senhor Prefeito pela construção  de mais uma Creche. Parabéns pelo respeito às familias mais carentes, oportunizando, enquanto mães e pais diariamente se desdobram em jornadas de trabalho. Parabéns ao Secretário de educação por comungar com o Prefeito dos mesmos ideais de expansão dos Saberes, em horizonte de conquistas a tão fundamental educação, rumos a este bairro mais distante.

Enfim, Parabéns a Juazeiro que se rejubila por mais esta iniciaiva; onde se lê á frente desta unidade de ensino o digno nome da cidadã Juazeirense, Nélia de Souza Costa.

Rosi Costa

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Novos Baianos FC


Documentário de Solano Ribeiro, completo, sem cortes e sem interrupções.

JUAZEIRO DA BAHIA

137 Anos, Parabéns Juazeiro.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Museu Regional do São Francisco faz Homenagem a Juazeiro

O Museu Regional do São Francisco faz homenagem aos 137 anos de Juazeiro, na semana do seu aniversário.
A Exposição conta a história da cidade através de fotografia, roupas, movéis, desenhos, pintura e vários objetos antigos da comunidade.
A Exposição teve a participação de artistas, professores, politicos. A diretora do museu Rosy Costa está de parabéns.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Cultura do Rio

João Pedro Stédile - TV Brasil - Espaço Público


O Espaço Público, entrevista o coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile. No bate-papo, ele fala sobre manifestações, reforma agrária e atual cenário político do país. TV Brasil

A Carranca do São Francisco





quarta-feira, 1 de julho de 2015

As Ganhadeiras de Itapuã


As Ganhadeiras de Itapuã formam um grupo cultural que tem o objetivo principal de resgatar, valorizar e fortalecer a riqueza da identidade cultural fortemente ligada a um dos bairros mais conhecidos e tradicionais de Salvador. A iniciativa veio em meados de 2004, nos terreiros das casas de Dona Cabocla e de Dona Mariinha, onde um grupo se reunia semanalmente para trocar informações sobre as antigas tradições do lugar.

O nome "Ganhadeiras de Itapuã" é uma homenagem às mulheres que no século XIX e início do século XX compravam os peixes na mão dos pescadores locais, tratavam, empalhavam, e saíam com seus balaios a pé (pois não havia estradas na época) até o centro da cidade de Salvador para venderem os seus produtos e ganharem o sustento da família, assim como àquelas que lavavam roupas à beira da Lagoa do Abaeté e tinham nessa atividade o sustento de suas famílias.

No TVUFBA.DOC, pela voz de algumas das ganhadeiras mais experientes do grupo, como Dona Mariinha, Maria de Xindó e Nicinha, e também das jovens Evelin e Verônica, contamos um pouco da história do grupo, a relação que têm com o bairro de Itapuã e com a Lagoa do Abaeté.Também é um ponto forte a marcante característica musical das Ganhadeiras espalhando seu colorido com a dança nas areias claras dos Abaeté.

Vale do São Francisco

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Flor Da Idade - Filipe Catto.


"Flor Da Idade" é de autoria de Chico Buarque e foi composta em 1973 para fazer parte da trilha sonora do filme "Vai Trabalhar, Vagabundo" e para a peça "Gota D'Água" de Chico e Paulo Pontes. Essa versão, cantada por Filipe Catto, é uma das faixas da trilha sonora da novela "Joia Rara", Rede Globo.
"Flor Da Idade" por Filipe Catto 

sábado, 27 de junho de 2015

Gabriel, O Pensador - Racismo É Burrice

APLB - Associação dos Professores de Juazeiro - Bahia

Novo Diretor da APLB - Profº Gilmar Nery
A APLB-Sindicato vem por meio desta nota, divulgar oficialmente o resultado das Eleições realizadas nos dias 18 e 19 de Junho que elegeu a nova Diretoria Sindical da delegacia do Baixo e Médio São Francisco e seus respectivos Núcleos Sindicais de Senhor do Bonfim, Abaré, Sobradinho e Curaçá, para o quadriênio 2015 – 2019, de acordo com a ata de apuração dos votos do dia 20 de Junho de 2015, expedida pela Comissão Eleitoral composta por seus membros: Janary Santana Pinto, Lindinalva Barbosa da Silva e Monacita Moura Santana Campos.

Na totalidade da votação realizada na sede da Delegacia e nos Núcleos Sindicais apurou-se que foram coletados um total de 980 (novecentos e oitenta) cédulas e destas foram 320 (trezentos e vinte) cédulas em separado, sendo apurados um total de 980 (novecentos e oitenta) e destas foram 774 (setecentos e setenta e quatro) votos para a Chapa Única “Renovação com Responsabilidade”; foram 127(cento e vinte sete) votos nulos e 79 (setenta e nove) votos em branco, tendo a Comissão Eleitoral proclamado eleita a Chapa denominada “Renovação com Responsabilidade,” com seus respectivos candidatos, a seguir discriminados:

DELEGACIA DO BAIXO E MÉDIO SÃO FRANCISCO – DIRETORIA GERAL

ü  Professor Gilmar Nery – Diretor de delegacia
ü  Professor Marcelo Passos – Vice-diretor de delegacia
ü  Professor Messias de Brito – Secretário-
ü  Professor Expedito Vasconcelos – Tesoureiro
ü  Professora Rosângela Ferreira – Políticas Sociais
ü  Professor Regivaldo Menezes – Secretário de Imprensa
ü  Professor Flamber Pinheiro – Secretário de Assuntos jurídicos
ü  Professora Dionária Ana Lopes Bim – 1º Suplente
ü  Professor João Bosco de Souza – 2º Suplente
ü  Professora Maria Ângela Torres -3º Suplente
ü  Professor Humberto Silva Cardoso – Conselho Fiscal

Fonte: APLB

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Festa de São Gonçalo - Mulungu - " Os outros querem que lhe rezem. São Gonçalo que lhe Cantem! "


"São Gonçalo minha gente, não é como os outros Santos. Os outros querem que lhe rezem. São Gonçalo que lhe cantem!"
O  povoado de Mulumgu  fica em Maniçoba  distrito de Juazeiro da Bahia. Onde acontece as Festas: de Nossa Senhora da Paz, a Festa de São Gonçalo e o lançamento do livro de Bertolino sobre a Festa de São Gonçalo.

"Essa festa, de Nossa Senhora da Paz foi começada em 1938. Eu não sei em que mês, e nem a conta do mês, mas sei que ela era festejada em uma época de tempo de colheita de roça. Ai aparecia farinha, aparecia batata pro café, aparecia rapadura, feijão, e a carne os irmãos... A irmandade juntava, e do jeito que localizava as outras coisas, davam a carne. Um trazia o bode, outro trazia uma banda, outro trazia... e ai fazia a festa."
Bertolino - Livro ''São Gonçalo em Mulugu"
Música: João Sereno

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia