sábado, 31 de março de 2012

Os Penitentes de Juazeiro

É noite.
Não se espante ao cruzar as ruas, becos, praças e vilas, e se deparar com longas filas indianas, formadas por gente envolta em alvíssimos lençóis brancos, cordão-de-São-Francisco a cingir-lhe a cintura seguindo um cruz e obedecendo a um som estranho ainda... cantando embevecida seculares benditos evocando a Paixão de Cristo, buscando os cruzeiros, túmulos, capelas e cemitério.
São eles os penitentes de Juazeiro.

Cemitério de Juazeiro & Os Alimentadores de Almas

Cemitério de Juazeiro da Bahia, a Praça da Saudade.
Parte interna da Capela do Cemitério, o Santo é  São Vicente, os Penitentes entrando no Cemitério Velho, passando em frente da Capela do Cemitério. 
Os Penitentes fazendo uma das estações, são 7 estações no Cemitério  Velho.
Os Penitentes encerram Sexta-Feira Santa suas penitencias que teve início Quarta-Feira de Cinzas.
Os Alimentadores de Almas rezando no Cemitério de Juazeiro.

Os Alimentadores de Almas - Cordão de Penitentes pelas ruas de Juazeiro

O Cordão de Penitentes "alimentadoras de almas"  que tem no comando Dona Nenezinha  sai da Rua Princesa Isabel no Bairro São Antônio uns dos mais populosos de Juazeiro, O Cordão segue em direção ao cemitério. 

Comjuv participa do Fórum Nacional de Gestores Municipais de Políticas Públicas de Juventude

Os pequenos negócios, erradicação da miséria e a participação da juventude na Rio+20 foram os temas discutidos durante a 3ª Reunião do Fórum Nacional de Gestores Municipais de Políticas Públicas de Juventude. Direcionado a assessores, coordenadores, secretários e instituições engajadas em discutir o rumo da juventude no país, o evento integra a pauta preparatória do I Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, promovido pela Frente Nacional de Prefeito (FNP) em Brasília. Para o presidente do Conselho da Juventude de Juazeiro, Stallone Araújo, espaços de debate como esse são importantes, pois oportuniza a troca de experiência entre os gestores e a implementação de políticas públicas. Ele também destacou a importância do envolvimento e participação da sociedade civil para efetivação das PPJs. O coordenador geral do Fórum Nacional de Gestores Municipais de Políticas de Juventude, Oteniel Almeida, que também é coordenador de Juventude da Prefeitura de Rio Branco (AC), destaca que o objetivo do Fórum é superar as políticas de cunho assistencialistas, que ainda são comuns em algumas cidades, e buscar a implementação de ações que coloquem os jovens como protagonistas. “Temos que olhar para os jovens como um ator que vai contribuir com ações efetivas para o desenvolvimento das cidades”, declara. A qualificação profissional dos jovens, com atenção para a grade curricular, carga horária e metodologia dos cursos de formação, bem como a mobilização comunitária para prevenção da violência foram algumas questões que estiveram no centro dos debates. Durante o encontro, os gestores elaboraram a carta “Juventude e o Desenvolvimento dos Municípios”, com as reivindicações da juventude para a Conferência Rio+20. 
Ascom Comjuv


quinta-feira, 29 de março de 2012

Pinhões Distrito de Juazeiro

O Distrito de Pinhões fica a 72 Km de Juazeiro sua população é aproximadamente de 2.500 Habitantes.
A população vive da agricultura irrigada, da criação de animais e da pesca. 
Em Pinhões existe um Açude Público que tem 9 Km de extensão e foi construído na década de 50.

Escola Municipal Eleotério Soares Fonseca

A Escola Eleotério Soares Fonseca fica na Travessa da Rodoviária no distrito de Pinhões.
A Diretora  Sidineide Rodrigues Elpidio, com a coordenadora Nilma Maria fazem um grande Trabalho. Pinhões tem uma uma grande Diversidade Cultural - Reisado, Roda de São Gonçalo, Vaquejadas e Corrida de Argolinha.

Ruas de Pinhões

A população de Pinhões distrito de Juazeiro, vive da produção agrícola, da pesca e criação de animais.
A água vem do Açude de Pinhões que tem 12 Km de extensão.

Açudes de Pinhões

 O Açude de Pinhões tem 9 Km de extensão, chegando a 12 Km na época das chuvas.
 Foi construído na década de 50 pelo DNOCS - Departamento Nacional de Obras Contra as secas.
 Mais de 2.500 pessoas dependem do açude, na plantações, criação de Animais, Peixes e Camarão branco.
 Os pescadores pescam várias toneladas por mês.
No Açude de Pinhões vamos encontra uma grande variedades de peixes como - Curimatã, Tucunaré, Tambaqui e Tilápia. Os pescadores criaram uma Associação que protegem e cuida do Açude.

terça-feira, 27 de março de 2012

Conselho da Juventude de Juazeiro é contra a exclusão do Enem na Univasf


O Conselho Municipal da Juventude de Juazeiro é um órgão cujo objetivo é garantir as políticas públicas de juventude, tendo no protagonismo juvenil a sua principal forma de trabalho. O Comjuv vem a público expressar a sua opinião contraria ao pedido do Prefeito de Petrolina/PE, Julio Lossio, ao Ministro da Educação Aloizio Mercadante, onde solicitava a exclusão Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) na Universidade Federal do Vale do São Francisco. A democratização do acesso à universidade pública sempre foi uma das principais bandeiras defendida pelos movimentos sociais, sempre defendemos um projeto de sociedade justa e libertária. Acreditamos que a adoção por parte da Univasf ao Enem, como forma de ingresso substituindo o vestibular tradicional, e a implantação de cotas seja um grande avanço no sistema educacional, tanto por usar uma metodologia avançada quanto por democratizar o acesso ao ensino superior. O Enem mudou completamente os critérios de avaliação cobrado para entrada no ensino superior. O vestibular favorece a lógica de mercado da educação com a propagação exponencial dos cursinhos pré-vestibulares, que priorizam a decoreba de fórmulas e regras que fogem da realidade de nossa juventude, o que transforma o ingresso aos cursos de nível superior num verdadeiro "funil". Com o Enem, saímos de uma avaliação conteudista, que não valoriza a capacidade de interpretação da juventude e entramos em uma nova forma de avaliação que valoriza a interpretação, a leitura, o raciocínio lógico e a análise do conteúdo aplicado a sua realidade e temas que cercam nosso cotidiano. No entanto, nos últimos anos houve problemas quanto à realização da prova, vazamento das questões, erro de impressão e montagem dos cadernos. Esses erros crassos devem ser sanados, mas não devem de forma nenhuma servir para descaracterização do Enem em sua totalidade, não pode tirar sua importância como índice responsável pela busca de melhoria do Ensino Médio, assim como a livre e universal possibilidade de acesso ao curso superior. O Comjuv acredita que os estudantes que residem na nossa região levam sim a desvantagem quando concorrem com os de outros estados, em função de que a formação em segundo grau nas escolas públicas, na grande maioria dos colégios, deixa a desejar. O que já não ocorreria em outras partes do país onde a educação é mais priorizada pelos governantes, a exemplo de São Paulo, Minas Gerais e os estados do sul. Porém, a exclusão do Enem não seria a solução. Acreditamos que a regionalização do exame poderia diminuir o sofrimento do jovem da região. A Univasf também poderia assumir tarefas na organização do exame. Não somos contra a vinda desses “migrantes” estudantis, desde que a presença deles não tomasse vagas dos que aqui estão se esforçando para conseguir o tão sonhado canudo de papel e, muitas vezes, tem seus sonhos frustrados e são obrigados a tentar a sorte nas faculdades particulares.
 Ascom Comjuv 

domingo, 25 de março de 2012

Itamotinga Distrito de Juazeiro.

 O Distrito de Itamotinga fica a 72 Km de distância de Juazeiro, sua população é de 20.995 habitantes.
A maioria da população vive da agricultura, criação de bode, outros são aposentados.
  O Serrote do Tirano.
 Itamotinga é formada por vários povoados: Guanhães, Mari, Jaburu e Projeto Curaçá: Núcleo 1 a 4.
 Escola Municipal Iracy Nunes da Silva, fica na Rua Almirante Barroso. o Diretor: Ariston Oliveira Martins, Vice-Diretora: Rosemeiry Dias, Coordenadoras; Ieda Regina e Alexsandro Costa, Secretária: Erlânia Carla.
O Padroeiro da cidade é Bom Jesus dos Navegantes, tem Roda de São Gonçalo, Reisado, Festa da Melancia,  Bode Assado, Galinha Capoeira com Pirão, Matrinchã assada, Buchada. Tem uma grande diversidade cultural.

Daniel José Paulino - Um Grande Escritor

Daniel José Paulino, poeta, escritor, fez o livro mais bonito do Vale do São Francisco "No Viver do Vale das Águas". Nasceu em Guanhães, pequeno vilarejo situado a 5 Km Rio São Francisco acima de Itamotinga distrito de Juazeiro, que quer dizer "Vale das Águas! ou "Espírito das Águas". Seu Paulino foi pra São Paulo, trabalhou, aposentou, mas quase morria de saudade da Terra. Sentiu saudade de comer Xiquexique assado, saudade do cuscuz de mucunã, saudade da Acuã e de seu grito, saudade do pirão de peixe matrinchã, saudade de adoçar com rapadura o café, saudade de deitar numa esteira em noite de luar, saudade do nêgo d'água na cachoeira praticando natação, saudade de Iaiá, Sofia, da casa de farinha, saudade do sapato que seu pai fazia e era duro pra dedéu, saudade do forró de joão cabaça e passeio de caminhão, saudade da mão boba buscando os peito da Filomena naquela noite escura de novena, saudade de viajar de jegue vinte e quatro léguas. Oi como doí o coração, Saudade meu Povo Saudade. Seu Daniel voltou, fez um livro maravilho sobre seu povo, sua cultura e história do Vale do São Francisco.

Rio São Francisco - "Vale das Águas" Itamotinga

"Saudade daquelas historietas de Caipora, Mula-Sem-Cabeças, do Come-Bunda das quebradas do Serrote do Junco, do meu Povo com quem eu gostaria de estar sempre junto e em dias mormaço mergulhar no Rio Velho Chico até o Fundo".
Daniel José Paulino 

"Saudade das Novenas no São José que são testemunho de f´é, Dona Ana grande mulher, leilão de Tatu-Bola assado, quebrar o jejum comendo Araticum lã detrás do Rocado numa sexta-feira da Paixão. Numa sexta-feira da paixão? Cruz Credo!
Daniel José Paulino

Ruas de Itamotinga

Saudade meu povo saudade
"Saudade dos meus tios Cripiniano, Severo e João; medo que eu tinha de Careta e Zoada de avião, mugido do touro em noite de escuridão e do uivar da raposa então".
Daniel José Paulino
"Saudade de viajar montado em jeque (Charneca) vinte e quatro léguas e depois pra beira do Rio ouvir o som do Eco, tempo de eu menino gritando filho de uma Égua! È Tu ".
Daniel José Paulino 
"Saudade do gargalhar da Seriema e dos meus folguedos nas veredas da Jurema, da mão boba buscando os peitos da Filomena naquela noite escura de Novena."
Daniel José Paulino

Flores de Itamotinga - Distrito de Juazeiro

 " Saudade de Bilalilá; Sonho mais bonito do que ela não há e, de Baim tão doce como o quê? O Alfinim."
Daniel José Paulino
Itamotinga fica no semiárido Baiano, Sertão do São Francisco, teve a felicidade de ficar nas margens do Velho Chico.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Primavera & Ki-sabor e Direlli

Os Bares Primavera e Ki-sabor, centro da cidade, ficavam na Praça Aprígio Duarte, na Rua da Apolo em Juazeiro, na década de 70 e 80 foi ponto de encontro da juventude de Juazeiro. A Direlli  vendia livros, revistas, e ficava ao lado do Prédio da Maçonaria.

quinta-feira, 22 de março de 2012

São Gonçalo

São Gonçalo, Mulungu, Acampamento Estrela, Assentamento São Francisco, Sabiá I - Povoados do Salitre


São Gonçalo.
A comunidade de São Gonçalo foi povoada por pessoas que vieram do município de Casa Nova e da Fazenda da Pedra e também índios. Colocaram esse nome porque encontraram uma imagem no rio e então ficaram devotos do Santo São Gonçalo faziam rodas, tocavam instrumentos e dançavam com muito prazer e alegria o Samba de Veio e o Forró. Hoje é difícil acontecer esses momentos culturais. Existem noventa e oito crianças, cinqüenta idosos e sessenta jovens. Atualmente tem o transporte para ir a Juazeiro, transporte escolar, energia elétrica, casa de bloco, água para todos.
Colégio Municipal Professora Edualdina Damásio, Renato Silva de França-8ª B, Débora Cristina dos Santos-6ªB, Lucas Brandão da S. Ferreira-6ªB, Tamires Ferreira 6ªB, Gilvana dos Santos Valentin 6ªB

Mulungu
A comunidade Mulungu fica situada no distrito de Junco, município de Juazeiro Bahia, á 39 km distante da sede. A estrada  é de chão e tem transporte uma vez por semana pra outros lugares do centro da cidade.
Colocaram esse nome porque uma pessoa descansou debaixo de um pé de mulungu. E as pessoas quando queriam identificar o lugar  então diziam..." lá no mulungu". Os primeiros moradores foram; Euzébio, Rosa, João Custódio, Cazuza e Dona Júlia. Atualmente existem três idosos, vinte e um jovens e cinco crianças aproximadamente.As festas são animadas como o samba de veio e o são Gonçalo quando as pessoas fazem promessas.
Colégio Municipal Professora Edualdina Damásio
Luane Maria Pereira dos Santos 6ª B, Rosângela da Silva Santos-6ª B, Adriano da Silva Santos-7ª C

Acampamento Estrela
A comunidade chamava-se Agropecuária Estrela. Depois que o MST ocupou passou a ser Acampamento Estrela. São onze famílias que vivem de plantação , da pesca.
Jean Alisson de Souza Silva.
Assentamento São Francisco
Iniciou chamado de boqueirão. As pessoas foram despejadas deste lugar. Foram para outro espaço que hoje chamamos de Assentamento São Francisco, que fica à 4km da comunidade de Campo dos Cavalos.
Isso foi em 2002 que chegaram com a grande notícia que enchia a todos de orgulho, para dizer que não eram mais acampados, agora tinha a posse da terra. As famílias não viam a hora de entrarem em suas casas , sem medo da chuva, principalmente à noite, as paredes de barro que muitas vezes não suportavam tanto sofrimento. Em 2005 chegou a energia para alegria de todos. A dificuldade agora é a água pois os moradores percorrem mais de 6 km  para conseguir trazer 300 litros de água que vem do Rio São Francisco e chegar  a custar cinco reais por caixa d'água. A juventude do Assentamento é bem participativa dos movimentos sociais da comunidade.
Edjane -8ª B, Geovane de Souza Silva-6ª e Aldejane. 
Sabiá I
A comunidade de Sabiá I fica á 26 quilômetros da sede do município. Possue seis crianças, três idosos e  dois jovens aproximadamente. Os primeiros moradores foram os índios. As pessoas faziam festas como: o São Gonçalo, festas juninas com muita quadrilha e forró. Muitas casa atualmente são construídas com blocos facilitando a vida das pessoas e evitando doenças como  o barbeiro.
Fonte: Colégio Municipal Edualdina Damásio

A Chacina do Rio Salitre, 1º de junho de 1676

Caçadores de Índios e Família indígenas presa com as crianças
Jean Batiste Debret, Coleção Castro Maya
Gonçalves (1997), em seu Livro Opara, nos traz à consciência que, para encontrar a história dos antepassados não precisamos ir longe, está perto de nós, mas esquecida, sem data nos calendário oficiais, sem tumba ou monumentos. Em 1676, os índios Cariri reagiram contra as constantes matanças e à ocupação do território, atacando casas de portugueses e vaqueiros. Francisco Dias d’Avila, o Segundo, reuniu tropas, atravessando a nado o baixo Rio Salitre, na região de Juazeiro, Bahia. Depois de cinco dias, os índios se renderam, sob promessa que lhes poupassem a vida. E, mesmo assim, mataram os índios amarrados. Eram 500. Fizeram escravos seus filhos e mulheres. O Governador da Bahia mandou celebrar uma missa, em ação de graças... Essa derrota dos Cariris, no Vale do Salitre, representou a limpeza da área, para que depois pudesse ser ocupada pelos criadores de gado. No processo inicial de povoamento, o colonizador buscava a conquista dos espaços privilegiados das serras e das melhores reservas de terras úmidas na Caatinga, que sobrevivência durante os períodos de secas mais prolongadas. Em tais espaços, onde existia água, peixe e caça, foram sendo ocupados pelos brancos, que forçosamente exotavam os indígenas para os lugares mais afastados da Caatinga. Esse reagiram contra a fome, assim imposta a eles. A caça também diminuiu, pela caça predatória dos portugueses, pelas doenças que os animais domésticos traziam contra as quais os animais silvestre não possuíam resistência. Os índios matavam o gado das portugueses para comer. Em represália, os portugueses organizavam verdadeiras caçadas aos índios. Quem conseguia matar mais, era festejado.
A Formação Histórico - Geográfica do Semiárido Brasileiro 
 Harald Shistek, Luzinete Dourado Carvalho.
Livro: Educação e Convivência com o Semiárido - UNEB

quarta-feira, 21 de março de 2012

Dia Nublado - Juazeiro da Bahia

 Juazeiro quando amanhece nublado sempre é um dia mais agradável. Todos ficam torcendo por chuva, aqui na região a chuva foi pouca, a poucos Km do Rio São Francisco falta água para a população.
O Velho Chico e o Nego D'água escultura feita pelo artista Lêdo Ivo.
Ponte Presidente Dutra.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia