quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

LENDAS DAS ÁGUAS BARRENTAS

Mãe Canastra conta histórias
para rio-menino:
- Dizem que lá, muito longe,
onde chamam litoral,
tem água grande.
Rio-menino fica curioso,
desce a serra manso
põe seus pés de água no chão de barro
e entra pelo sertão.

Na infância do rio
chegam os rios reis magos
e ofertam suas águas.

O rio cresce.
Todo rio cresce com sonho de mar,
e sonho de rio
vai, sem querer,
fazendo geografia.

O rio se contorce na terra quente.
As casas conversam á beira d'água.
Toda paisagem veio ver o rio.

Noivado de água e barranco.
Líquidas mãos acariciam
barranco enlouquece
delira,

tem sonho de rio
e ao rio se atira.
Tenta nadar,
em vão

aos poucos se afoga
e vai ser presente do rio
a abóboras e melancias.

Noite.
A noite semeia as estrelas.
Mosquito nas margens,
sapos na beirada,
os músicos de uma inacabável
e milenar sinfonia,
ensaim para a festa do fim do mundo.

Vozes.
Vozes de gente simples
que acredita em milagres
como nas histórias fantásticas
que conta da mãe d'água,
de surubins de cabelo
e do nego d'água.

Nego d'água é feio, terrivelmente feio
e tem bom olfato

Sendo feio ele odeia todas as coisas bonitas.
Deano em ano, ele se olha nas águas do rio
e acha mais feiúra
seu ódio fica sempre maior.
Esconder-se nas águas do rio
durante mais um ano
não traz esquecimento.
Ele nunca esquece que é feio.
Também não pode andar nas margens do rio
nas noites de luar
e tem mais essa queixa.

Nego d'água tem um sonho
o sonho de levar beleza para morar com ele
e ataca as mulheres brancas, de coxas bonitas,
que se vão banhar no rio.
Todas as mulheres são brancas,
ele é sempre mais preto.
A beleza que ele traz pra perto dele
apodrece,
o seu esforço fica inútil,
Irrealizado sonho o enfurece.
Ele não pode ter beleza
e fica mais zangado ainda,
e ataca as canoas com homens
que trazem o cheiro de mulheres
que estiveram com eles.

Noiteceu demanhãzinha
e o céu explodiu
nos longes e nas margens.
Rio cresceu e foi brincar
de afogar ilhas,
depois, curioso,
foi ver perto
o que o caboclo
faz nos altos.

Depois do rio visitar muçambê
na casa dele,
faz mutirão com lavradores
e ajuda a plantar as ilhas.

Águas mortas ficam esquecidas.

Agora vai p'ra Juazeiro
ver a cobra-ponte
que engoliu os barcos
e mistura Bahia e Pernambuco.

Juazeiro: O mar chega de trem,
as casas se agruparam
com medo da enchente
e se reuniram
em intimidade de colóquio,
enquanto a infância
enfeita os fios da rede elétrica
com pedaços
de perdidos sonhos de vôos.

O rio corre mais depressa
apostando carreira consigo mesmo.
Um grito surdo, um ronco
outros gritos, outros roncos
mais fortes
estrondos, explosões, barulhos,
é o rio
que
espuma,
grita,
berra,
chora,ronca,
xinga,
geme,
quando a terra falta a seus pés
e ele cai.

Depois
segue,
resignado e triste
como a gente que povoou sua passagem,
e cumpre seu destino
de entregar-se ao inevitável
Oceano.

LIVRO: O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES
AUTOR: PEDRO RAYMUNDO

LÊDO IVO ESCULTOR - NEGO D'ÁGUA
















NEGO D'ÁGUA - ESCULTURA DE LÊDO IVO - JUAZEIRO DA BAHIA





























O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES - LIVRO DE PEDRO RAYMUNDO

A gente veio de onde ? A gente veio do nada. Mas Você é. Existimos - a que será que se destina ? A vida nem é da gente... Pedro vinha sozinho pelo caminho e todas as estrelas se apagaram à sua passagem pra só voltarem a brilhar em sua poesia. Não me sinto muito à vontade usando palavras para me referir a Ele. Ah, esse... tristonho levado, que foi - que era um pobre menino do destino.
... que a vida da gente encarna e reencarna enquanto mamãe vestida de rendas tocava piano no caos. Tem horas em que penso que a gente carecia, derepente, de acordar de alguma espécie de encanto. As pessoas, e as coisas, não são de verdade! A vida mem é da gente... Tudo é testamento.
Isto não é um prefácio. Já houve o interessantíssimo de Mário de Andrade & muitos outros muito menos interessantes. E eu sei, que não, saberia falar de Pedro com palavras. Talvez ao piano. Pelo piano das goteiras chega uma músicas que eu sei, se alguém um dia souber usar, saberá falar de Pedro. A poesia é uma estrela que guia a Deus, reis e pastores. Pedro tinha uma casinha branca nesta estrela com uma varandinha de onde se avistava Juazeiro... um dia fomos juntos a casa do mestre e João chamuo-o Mundinho e naquele instante muitas luzes se acenderam em nós e a noite ficou clara e nos dissolvemos na poesia sentados os três no batente da casa onde o Mestre nasceu e sobre nossas cabeças houve uma chuva de estrelas. A poesia é uma mina... A morte de Pedro fez um buraco imenso e triste. Ele era o Único. A cultura de Juazeiro dependia muito de sua liderança, da generosidade do seu abraço. Pedro era um exemplo de homem que acredita que o mundo foi feito pelos homens e pode ser mudado pelos homens. E não esquecia a poesia. Tinha um coração de melão. Sabia que a poesia era sua via, seu caminho. A figura de Pedro se assemelha a imagem que a gente possa ter dos yoguis, dos ascetas que se dedicam à via, ao caminho. Pedro acreditava que o mundo seria salvo pelos poetas. Tinham a alma do passarinho que em suas veias cantava, Pedro. Poesia.
E quase impossível falar sobre Pedro Raymundo Rodrigo Rêgo sem recorrer abundantemente aos seus próprios versos. A poesia é a melhor biografia que um poeta consegue de si mesmo.
"Por que a árvore me tocou no ombro,
com uma folha,
e me chamou
se eu sou um homem quase perdido?
................................................................
Assim, ele ficou, solitário,
na margem de uma dessas estradas
que a vida andou abrindo por aí
e não asfaltou.
................................................................
Uma estrela desceu, veio devagarinho
e espiou o que eu estava escrevendo
e disse qualquer coisa
(e mesmo qualquer coisa de uma estrela é sempre muito luminoso)
....................................................................................................................
Eu não nascí assim triste,
ensinaram-me depois.
....................................................................................................................
Eu me fui construindo
com o que me ensinavam
com o que fui aprendendo
a vida me foi destruindo.
...................................................................................................................
A única coisa tranquila é o morto,
desvendando o futuro a todas as pessoas."
Meu amigo se foi pela estrada do luar de agosto. "Do lado esquerdo carrego meus mortos / por isto caminho um pouco de banda"
Pedro foi dormir para sempre e virou estrela no céu. Que esta cidade aprenda a amar e compreender os seus artista, enquantos eles estão vivos.
Juazeiro, Novembro 81
Euvaldo Macêdo Filho

POEMA DA NECESSIDADE

Costura-se. Borda-se. Caseia-se.
Plissa-se.
Cobrem-se botões.
Vende-se ovos e carvão.
Ensina-se inglês.
Dá-se aulas de violão.
Vende-se roupa usadas.
Ensina-se particular
Matemática e Supletivo.
Vende-se costura do Ceará.
Aluga-se uma casa.
Fornece-se marmita.
Há uma vaga num quarto
em casa de família.
Aceitam-se encomendas
de bolos e salgadinhos
para aniversários
e casamento.

Não vejo.
Creio que não há.
Não encontro.
É inútil procurar o anúncio
"VENDE-SE SONHOS"

LIVRO :O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES
POESIA: PEDRO RAYMUNDO

PEDRO RAYMUNDO - NOSSO POETA MAIOR

EU QUERIA UMA GAROTA BEM SIMPLES...
Eu queria uma garota bem simples,
Tão simples que se chamasse Maria,
Que viesse comigo ver as estrelas
E perguntasse se as estrelas tinham medo da noite.
EU VOU SAIR ANDANDO COM MEU SONHO
Eu vou sair andando com meu sonho
E esquecê-lo numa mesa qualquer.
Tenho pena dele, muita pena dele;
Ninguém lhe vai cuidar tanto quanto eu
E ele pode sentir frio.

PEDRO RAYMUNDO - O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES

PEDRO RAYMUNDO, em seguida a uma luta íntima que envolveu inclusive amigos seus, entrega ao público O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES. Trata-se de uma publicação de primeira grandeza.
Formado em arquitetura, o autor, desde estudante, foi um homem dedicado às coisas do espírito, revelando-se logo cedo, incansável pesquisador.
Em 1958 escreveu um estudo sério, sobre a Igreja de Monte Serrat, em Salvador, obra inédita de valor incontestavel.
Logo no ano seguinte, para o IV Colóquio de Estudos Luso-Brasileiros, fez uma pesquisa sobre "Azulejos não Decorativos" da velha Tomé de Souza, merecendo Moção de Aplausos da Congregação de Escola de Belas Artes da Bahia.
Pode-se dizer, além disso, que a poesia é a melhor biografia que um poeta consegue de si mesmo. E PEDRO RAYMUNDO é um poeta nato.
Euvaldo Macedo Filho, escrevendo sobre o autor de O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES, pergunta:
" Houve uma pedra
no caminho de Pedro ?
E, ao correr do verso bem elaborado, responde:
"Um homem, um ato, um pacto.
Um pássaro que criou raises
(e fez o ninho)
entre rochas & cactos."
E PEDRO RAYMUNDO, em seus cinquenta e tantos poemas aqui enfeixados, nos diz ser um homem apaixonado quando, em "Lirismo", confessa:
" Puseste as mãos em concha,
E eu depositei nas tuas mãos em conchas,
Toda minha poesia.
Esqueci a poesia...
Contemplando as tuas mãos."
Como todo poeta que se preze, é um sonhador. E, no "Poema da Necessidade", com maestria, diz:
"Não vejo.
Crio que não há.
Não encontro.
É inútil procurar o anúncio:
VENDE-SE SONHOS."
Recordando sua mãe, PEDRO RAYMUNDO nos brinda com O RISO QUE ESTÁ AGORA NO MEU ROSTO, revelando-se:
"Eu não nasci triste.
Ensinaram-me depois.
........................................
Ele é um pouco do rosto de minha mãe chorando."
PEDRO RAYMUNDO, quando estudante, fez repetidas vezes o percurso Juazeiro-Salvador de trem. Eram quase 24 horas de viagem na velha Maria Fumaça da Leste Brasileiro. Todos, inclusive o autor, sente saudades dos tempos idos e vividos. Daí o verso:
"...Sei que fumaça de trem cheira a saudade."
Será que, por momentos, PEDRO não é aquele " PEIXE DE LOUÇA EM CIMA DA MESA" ? Vejamos o verso:
" O peixe grita socorro
fora d'água
em cima da mesa,
e lhe põem flores na boca"
Os grandes poetas sofrem " as dores do mundo". São golpeados pelas pedras do caminho. PEDRO RAYMUNDO, em "A ÁRVORE ME CHAMOU: RECADOS DE FOLHA TOCOU MEU OMBRO", INTERROGA:
"Por que a árvore me tocou no ombro
Com uma folha
E me chamou
Se eu sou um homem quase perdido ?"
Em "QUASE NÃO PEDRO" declara ainda:
"Eu me fui construindo
Com o que me ensinavam,
Com o que fui aprendendo
A vida me foi destruindo."
Temos aí uma pequena amostra da poesia de um grande poeta. O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES é uma obra que enriquese a poesia brasileira.Espera-se, com justa razão, boa acolhida do público leitor e da crítica especializada.
LIVRO; O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES
AUTOR: PEDRO RAYMUNDO
CAPA: JUAREZ PARAÍSO
CAPA: JUARES PARAÍSO

LIVRO DE PEDRO RAYMUNDO / O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES - CAPA JUAREZ PARAÍSO




PEDRO RAYMUNDO - NOSSO POETA MAIOR

ACALANTO
Se você dormir
Eu lhe darei uma estrela.
Escolha.
Quer a mais brilhante
Ou uma pequenina ?
Durma...
Durma que eu lhe darei uma estrela.
Mas só lhe darei uma estrela
Se você dormir.
EU NÃO GOSTAVA DE MÃOS LONGAS
Eu não gostava de mãos longas,
De cabelos castanhos claros,
De olhos grandes,
De moças tímidas,
E do nome Maria.
Tinha as mãos longas,
Os cabelos castanhos claros,
Os olhos grandes,
Era tímida,
E se chamava Maria.
LIVRO : O PÁSSARO QUE CRIOU RAIZES
PEDRO RAYMUNDO RODRIGUES RÊGO

MARCHA DE QUARTA - FEIRA DE CINZAS

Acabou o nosso Carnaval
Ninguém ouve cantar canções
Ninguém passa mais brincando feliz
E nos corações
Saudades e cinzas foi o que restou.
Pelas ruas o que se vê
É uma gente que nem se vê
que nem se sorri, se beija e se abraça
E sai caminhando
Dançando e cantando cantigas de amor
E no entanto é preciso cantar
Mas que nunca é preciso cantar
È preciso cantar e alegrar a cidade
A tristeza que a gente tem
Qualquer dia vai se acabar
Todos vão sorrir, voltou a esperança
É o povo que dança
Contente da vida, feliz a cantar.
Por que são tantas coisas azuis
Há tão grandes promessas de luz
Tanto amor para amar de que a gente nem sabe...
Quem me dera viver pra ver
E brincar outros carnavais
Com a beleza dos velhos carnavais
Que marchas tão lindas
E o povo cantando seu canto de paz.
POESIA: Vinícius de Morais

O CARNAVAL DE JUAZEIRO VAI SER EM MAIO

O Carnaval de Juazeiro da Bahia será realizado de 27 a 30 de Maio de 2010
27 de maio - " É o aniversário da nossa Estrela mais ilustre, que é Ivete Sangalo". - Declarou o Prefeito Isaac Carvalho
VAI SER UM
CARNAVALZÃO


27 DE MAIO

JÁ ESTAMOS ESPERANDO VEVETA !


"E NO ENTANTO É PRECISO CANTAR
MAS DO QUE NUNCA É PRECISO CANTAR
É PRECISO CANTAR E ALEGRAR A CIDADE
A TRISTEZA QUE A GENTE TEM
QUALQUER DIA VAI SE ACABAR
TODOS VÃO SORRIR, VOLTOU A ESPERANÇA"
Vinícius de Morais



domingo, 14 de fevereiro de 2010

HINO N. S. DAS GROTAS - CIFRA


PIERRÔ, ARLEQUIM E COLOMBINA

PIERRÔ APAIXONADO
Um Pierrô apaixonado
Que vivia só cantando
Por causa de uma colombina
Acabou chorando, acabou chorando
A Colombina entrou num butiquim
Bebeu, bebeu, saiu assim, assim
Dizendo: Pierrô cacete
Vai tomar sorvete com o Arlequim
Um grande amor tem sempre um triste fim
Com o Pierrô aconteceu assim
Levando esse grande chute
Foi tomar um vermute com amendoim
COMPOSIÇÃO; Noel Rosa / Heitor dos Prazeres

A Colombina, o Pierrô e o Arlequim, são personagens da comédia Italiana, uma companhia de atores que se instalou na França entre os séculos XVI e XVIII para difundir a Commedia dell' Arte, forma teatral original com tipos regionais e textos improvisados.

PIERRÔ, ARLEQUIM E COLOMBINA - DI CAVALCANTE



COLOMBINA - Era uma criada de quarto esperta, sedutora e volúvel, amante do arlequim, às vezes vestia-se Arlequineta, em trajes de cores variadas, como de seu amante.

ARLEQUIM - Rival do Pierró pelo amor da Colombina, usava traje feito a partir de retalhos triangulares de várias cores. Representa o palhaço, o farsante, o cómico.

PIERRÔ - Personagem sentimental, tem como uma de suas principais caracteristicas a ingenuidade.

CARNAVAL REGIONAL

O ZÉ PEREIRA
" E viva o Zé pereira
Pois que ninguém faz mal
Viva a bebedeira
Nos dias de Carnaval".

E o Carnaval Juazeirense? Teve e tem os seus ciclos bem acentuados. Entrudos. Zé Pereira, Laranjinhas perfumadas, Rei Momo, Rainhas do Carnaval e suas princesas, Hinos Carnavalesco para cada entidade, batalhas de confetes, brigas e disputas dos clubes.
No passado, bem longe (1914). Embaixadores de Veneza versus Filhos do Sol. Traduzindo: Sociedade 28 de Setembro contra a Sociedade Apolo. Dizem os historiadores que a Soc. 28 de Setembro ganhou, mas a Soc. Apolo, teve a sua vitória em animação e popularidade.
A Sociedade Beneficentes dos Artífices juazeirense competia com o Clube Carnavalesco O Zero - de Adauto Morais, D Jeruza Rosa, Zezito e Dandão. Bloco de Fantasia, Balizas lindas e saltitantes numa acirrada competição.
Trio Elétrico de Edésio Santos, Urbano, Pedrinho Biloto, Maninho Buldog e tantos outros, sob a tecnologia eletrônica de Wilsom Mattos e Santinho. Como era tudo tão bonito. Quanta musicalidade, beleza, Wilsom Mattos e Santinho mostrava a Juazeiro a sua bem elaborada
criação.
A Batucada Cacumbu de Adalberto Moreira e jonas, do seu ritmo e encantamento dos seus passistas e porta-estandarte faz surgir dezenas de Batucadas que fizeram a histórias do Carnaval Juazeirense. Pecaram porque deixaram de ser batucadas para ser Escolas de Sambas, porque Escolas de Samba, só mesmo no Rio de Janeiro, o que aliais apesar de todo o deslumbramento já estão se tornando repetitivas...( a reporte global Glória Maria, que há 23 anos fazia cobertura das Escolas de Sambas, solicitou à TV Globo, para dispensá-la , motivo: " o desfile se tornou repetitivo e não empolga tanto o público. Particularmente, acho lindíssimas...).
Conjuntos musicais denominados de Jazz, como o Cacique, o Oriental e outros e outros, orquestras como a de Amado e seus Cheques-Mate - faziam a música do Carnaval, do Rei momo - que agora não mais triduo, como se denominava o tempo Carnavalesco.
Bloco como: Os Inofensivos, Os Marianos, Os que nunca beberam aconteceram com muita música, juventude e Samba.
TEXTO: Bebela

domingo, 7 de fevereiro de 2010

sábado, 6 de fevereiro de 2010

FRASE VENCEDORA EM UM CONGRESSO SOBRE VIDA SUSTENTÁVEL.

" TODO MUNDO 'PENSANDO' EM DEIXAR UM PLANETA MELHOR PARA NOSSOS FILHOS..
QUANDO É QUE 'PENSARÃO' EM DEIXAR FILHOS MELHORES PARA O NOSSO PLANETA?

A INVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO

1.Ensino de Matemática em 1950:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de vendas. Qual é o lucro?

2.Ensino de Matemática em 1970:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100.00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de Matemática em 1980:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100.00. O custo de produção é R$ 80,00. Qual é o lucro?

4. Ensino de Matemática em 1990:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:

( ) R$20,00 ( ) R$40,00 ( ) R$60,00 ( ) R$80,00 ( ) R$100,00

5. Ensino da Matemática em 2000:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$80,00. O lucro é de R$20,00.

Está certo?

( ) SIM ( ) NÃO

6. Ensino de Matemática em 2009:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$80,00, se você souber ler coloque um X no R$20,00.

( ) R$20,00 ( ) R$40,00 ( ) R$60,00 ( ) R$80,00 ( ) R$100,00

7. Em 2010 vai ser assim:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$80,00. Se você souber ler coloque um X no R$20,00. OBS: (Se você é AFRO descendente, Especial, Indígena ou de qualquer minoria social, não precisa responder.)

( ) R$20,00 ( )R$40,00 ( )R$60.00 ( ) R$80,00 ( )R$100,00

FONTE: Profª Luzanilde

CENA DE CARNAVAL - JEAN BAPTISTE DEBRET


FESTA DE SÃO JOÃO - CANDIDO PORTINARI


REGIÃO NORDESTE


A Região Nordeste é formada por 9 Estados, todos banhado pelo Oceano Atlântico e possui o maior números de Estados.
ALAGOAS - BAHIA - CEARÁ - MARANHÃO - PARAÍBA - PERNAMBUCO
PIAUÍ - RIO GRANDE DO NORTE - SERGIPE.
O Arquipélago de Fernando Noranha faz parte do Estado de Pernanbuco, e é formado por cerca de 20 ilhas.

COMO AS EMPRESAS ENXERGAM O NORDESTE

COMO AS EMPRESAS EXERGAM VOCÊ
Conhecer o cliente no mundo dos negócios. É por isso que as companhias
fazem pesquisas pra entender do que você gosta e precisa. Será que elas acertam?
Vejas como as empresas descrevem os brasileiros, de acordo com as regiões do país.
NORDESTE
LOW-TECH - Gadgets não são muito a onda dos nordestino - pelo menos é o que dizem empresas como a Consul. A fabricante de eletrodomésticos percebeu que tinha de retroceder na tecnologia - e não avançar - se quissesse bombar as vendas de micro-ondas no nordeste. Em julho de 2008, a Consul lançou lá um modelo novinho com um antiquado botão giratório, daqueles que você gira para controlar o tempo de aquecimento da comidas. Nada do touch sceen tão desejado no Sul e no Sudeste. " Muita gente no Nordeste tem medo de usar um produto touch sceen. Eles sentem que podem errar, preferem o modelo antigo". diz Daniela. " Além disso, só 4% dos lares do Nordeste e do Norte têm micro-ondas. Muitos estão comprando seu primeiro aparelho, e ele precisa ser fácil de usar."
TRADICIONALISTA
Para algumas companhias, o Nordeste é um país dentro do país - ao menos culturalmente. A região tem muitos hábitos e tradições próprios. Em pesquisas sobre os costumes dos nordestino, a Natura viu que o pessoal de lá recorria a um produtos especial para se livrar de mau-olhado e atrair amores - o banho de cheiro, uma água incrementada com ervas, plantas e flores. Não deu: a empresa lançou sua própria linha de banho de cheiro. Aconteceu o mesmo com a Perfetti van Melle, a fabricante do Mentos. Desde o fim de 2009, as lojas do Nordeste vendem Mentos sabor iogurt de coco (coco cremosinho, digamos) - sabor que o fabricante reservou para os nordestino, já que o coco é tradicional lá. AH, e o slogan do produto - "Mentos surpreendente" - lá virou "Surpreendetemente arretado".
POBRES
O Nordeste tem o PIB per capita mais baixo do país, quase 3 vezes menor do que o Sudeste. Não é à toa as empresas encaram os nordestinos como pobres. O sabão em pó Ala vem hoje numa embalagem plásticas porque o seu fabricante, a Unilever, percebeu que máquina de lavar era luxo na região. Como muitas mulheres lavam roupa na beira do rio, caixas de papelão molham e se estragam rápido, já a Perfetti van Melle aprendeu que bala tem que de ser barata para vender no Nordeste. A empresa vende Mentos em embalagens com só uma bala, a um preço de até R$0,10. A versão está disponível, no país todo, mas 85% do estoque é vendido no Nordeste. Por isso, o tubo com 11 balas também tem um preço mais baixo para os nordestino, 27% mais barato do que para os outros brasileiros.
FONTE: Revista SUPERINTERESSANTE - Nº 275 - FEV/2010

TECNOLOGIA
















COMIDA






















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia