quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

"São Gonçalo minha gente, Não é como os outros Santos. Os outros querem que lhe rezem. São Gonçalo que lhe cantem!"

Guias, Contraguias, e Cantadores (as) 
Não seria nada recomendável falarmos de Roda São Gonçalo deixando de incluir nesta trajetória tais elementos. No mínimo estaríamos cometendo uma grande injustiça considerando-se que na realidade são estes personagens os principais protagonistas deste espetáculo, responsáveis direto pela condução e animação das rodas, especificamente falando. Aos guias, lhe são conferidos a obrigação de coordenador os pares, administrar as ordens atribuídas em relação a quantidade de pares, o aspecto físico e visual, especialmente quando se trata de uma roda de finados. Sua condução de forma ordeira  e atenciosa para que tudo aconteça obedecendo-se aos tramites legais observados nos versos pronunciados: "Os guias e contra-guias todo dançar tenham cuidado São Gonçalo não aceita que lhe façam dança errada".

A função dos contra-guias tornam-se um pouco mais salutar. Elemento primordial. É conduzir a animação fundamentado no ritmo e estilo, isto porque o pandeiro são mais alto que viola. Dessa forma, ninguém aguenta ouvir este instrumento fora de sintonia, afetando em especial a paciência dos guias que logo ao verificar a deficiência, lhe faz a advertência. Acontecendo a reincidência não haverá outra alternativa  se não solicitar-lhe a permuta por outro mais atencioso, embora seja esta uma situação constrangedora, uma tarefa difícil de ser realizar. Em relação aos contadores (as), observamos que um velho refrão já preconiza: "Quem canta, não assobia!" Neste caso, a responsabilidade destes torna-se maior levando-se em conta que ira exigir dos mesmos, habilidades necessárias, isto por que simultaneamente ira assimilar o som da viola ao ritmo dos versos, o desenrolar da dança, a conclusão da reposta aliada a segurança do verso. 

E tem mais. É indispensável fazer bonita. Voz estridente, muito entusiasmo. Nos versos, estão explícitos boa parte da história desta cultura  e certamente muitos convidados e expectadores estarão ali de olhos abertos, ouvidos  na escuta, discretamente, atentos a elucidação dos fatos e comportamento dos personagens;
Entendemos que autenticidade da roda de São Gonçalo está diretamente ligada a atitude e boa performance destes animadores. Nas suas essências ela conseqüentemente perdera o brilho e se tornaria até certo ponto monótona. Evidente  que se estes profissionais foram, e continuarão sendo, deslumbrantes no bom desempenho desta atividade. Nada mais salutar do que aqui e agora mencionar aversão que vem legitimar esta interação afetuosa desta gente além de referendar, alguns dos seus membros existentes na antiga e atual gerações.
Livro São Gonçalo do Mulungu - Cenário de Mitologia, Fé e Compromisso.
Bertolino Alves Nascimento 

São Gonçalo do Mulungu - Cénário de Mitologia, Fé e Compromisso

24 de Janeiro, Bertolino lançou seu 6º livro "São Gonçalo do Mulungu - Cenário de Mitologia, Fé e Compromisso " na comunidade de Mulungu povoado de Maniçoba distrito de Juazeiro.
Presente a Vereadora Neguinha da Santa Casa, professora Neide, técnica da SEDUC.
A Festa muito bem organizada pela comunidade e considerada a segunda maior Festa dos distritos de Juazeiro. 
Com o livro a comunidade passa a saber a origem da Festa, quando foi criada e o motivo da sua realização. 
Bertolino descobre nas suas entrevistas que a festa teve a participação dos Conselheiros e Beatos que andavam pela região. A Festa nasceu em louvo a Nossa Senhora da Paz, com objetivo de rezar em favor da Paz no Estado da Bahia e da região.
"Essa festa, de N.S. da Paz foi começada em 1938. Eu não sei em que mês, e nem a conta do mês, mas sei que ela era festejada em uma época de tempo de colheita de roça. Aí aparecia farinha, aparecia batata pro café, aparecia rapadura, feijão, e a carne os irmãos... A irmandade juntava, e do jeito que localizava as outras coisas, davam a carne. Um trazia o bode, outro trazia uma banda, outro trazia... e aí fazia a festa."

sábado, 26 de janeiro de 2013

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

As Poderosas arrasa na Avenida.

 Milhares de foliões encheram a Avenida Adolpho Vianna, a festa foi com muita irreverência e criatividade.
O primeiro Bloco de travestido de Juazeiro, tinha um único objetivo: a diversão.
O Bloco As Poderosas foi criado no ano de 1998.
Foi uma noite de muita alegria e diversão, o termômetro do carnaval de Juazeiro, o povo mostrou que a cidade gosta de alegria. As Poderosas saem uma semana antes do carnaval antecipado de Juazeiro.

domingo, 20 de janeiro de 2013

João Zinclar - Fotógrafo Operário/ Operário da Fotografia


Trecho da última entrevista dada pelo fotógrafo João Zinclar, para a série "Caçadores de Alma", de Silvio Tendler. Um fotógrafo que fez de sua profissão e lente instrumentos de muita luta junto aos movimentos sociais.
Vinicius Zanotti

João Zinclar, fotógrafo dos movimentos sociais e do Brasil de Fato, morre em acidente


O ônibus no qual ele viajava foi atingido por um caminhão que vinha no sentido contrário e atravessou a pista. Zinclar retornava de um trabalho em Ipatinga (MG)

19/01/2013
da Redação

João Zinclar era fotógrafo dos movimentos sociais - Foto: Reprodução
O fotógrafo dos movimentos sociais e do Brasil de Fato, João Zinclar, faleceu na madrugada deste sábado (19). Ele retornava de um trabalho em Ipatinga (MG) quando o ônibus no qual viajava, da viação Itapemirim, foi atingido por um caminhão que vinha no sentido contrário e atravessou a pista.
O acidente ocorreu por volta das 3h30 na altura do município Campos de Goytacazes, no norte do Rio de Janeiro. O ônibus transportava 20 pessoas. Um outro passageiro e o motorista do caminhão tiveram ferimentos leves.
O velório será realizado neste domingo (20) em Campinas (SP), cidade onde o fotógrafo morava. O enterro será na segunda-feira (21), às 9h. Zinclar é natural de Rio Grande (RS).
João Zinclar tinha 56 anos e deixou uma filha. Ele fotografava para vários movimentos sociais, entre eles o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), sindicatos e meios populares de comunicação, como o Brasil de Fato.
Zinclar foi metalúrgico e integrou a direção do sindicato da categoria em Campinas, de 1990 a 1996. Também foi militante filiado do PCdoB até 1996.
Em 2009, ele lançou o livro fotográfico "O Rio São Francisco e as Águas no Sertão", um registro da cultura do povo ribeirinho e sua luta em defesa do rio. O livro é resultado dos cinco anos em que Zinclar percorreu as margens do Rio São Francisco em oito estados. Clique aqui e confira uma entrevista concedida pelo fotógrafo ao Brasil de Fato em 2010, na qual ele fala sobre o livro e seu trabalho.


Walmor Chagas, em Guaratinguetá.



Entrevista com o ator Walmor Chagas em Guaratinguetá para o programa Cultura Retro
em 02/06/2011. - Imagens: TV Cultura.

sábado, 19 de janeiro de 2013

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Bertolino lança mais um Livro - Religiosidade

Tudo, esclarecido, vamos a partir de agora abrir as cortinas da nossa tenda, implorar que a luz divina penetre no seu interior e convidar o nosso primeiro figurante adentrar no recinto porque definitivamente chegou a e vez de sabermos quem é quem nesta historia. Quem mais poderia ser, se não ele, o cidadão que havia solicitado a nossa intervenção.
Dialogando: - O senhor se diz chateado em razão da confusa divulgação do tempo em que se iniciou a festa de janeiro. Tens realmente a data precisa? E com quem obteve esta informação?
 - Sim, tenho e a informação. Me foi passada através de meu sogro, o Sr. José Bernaldo, que como todos sabem, ele foi desde o inicio, um dos coordenador, a segunda pessoas mais próxima do casal Manoel Cabral e D. Juriti. Sigundo ele, o primeiro festejo se deu no ano de 1938 e nem foi na comunidade de Mulungu e sim no Recanto.           
O dia e o mês nem foi observado, o que se sabe é que a festa era em louvor de Nossa Senhora da Paz e era celebrada no sentido de que Ela, como mãe, pudesse roga em favor da paz no Estado da Bahia  e principalmente nas comunidades vizinhas. Nem teve data certa como hoje tem, já viu? Exatamente porque ninguém sabia qual é a data em que a igreja católica celebrava o dia da Santa. Por sinal, um dos interessados se dirigiu até a igreja matriz de Juazeiro pra obter do capelão a informação correta. Disse que o padre no momento nem soube detalhar, ficando com o compromisso de pesquisar e dar o retorno em outra ocasião.
- E aí?
- Aí que no ano seqüente, em 39 não teve a festa. Neste intervalo, Rita de Seu Acaço sonhou que a festa não podia parar, era pra ser festejado todos os anos. Ai sim, as próximas já foram transferidas pra comunidade de Mulungu e em 1940 aconteceram dois dias de festa pra compensar a do ano anterior que nem havia sido realizada.
- Confirma então, com toda clareza, que a festa teve seu inicio em 1938, completando no ano passado ou seja em 2008, setenta anos? 
- Confirmo sim senhor! Sem medo de errar.
- Em que ano começou, obedecendo a esta nova data oficial de 24 de janeiro?
- Não sei, mais foi logo assim que seus dirigentes subera ser este, o dia em que os católicos comemoram  N. S. da Paz. De lá pra cá permaneceu nesta data e só teve um ano que deixaram de fazer por causa de uma seca perigosa, mais no ano seguinte, fizeram dois dia de festa pra compensa a falta do ano anterior. Depois desta daí, nem mesmo a seca fez sofrer ação de continuidade, pois me alembro que num outro ano de seca forte, o pessoal se deslocou pra beira do rio mais nem deixaram de fazer.
- Por falar em dirigentes, recordo-me que ao retorno para Conhas, ficava impressionado com os comunitários em torno das pessoas com vinculo acentuado nesta organização, entre estes em que se diziam trata-se de uma irmandade burra, sem precedentes. Qual a sua opinião em relação ao assunto? 
- Hum, hum! Mais isto é coisa dos canaia, nem passa de fofoca, os canaia tão sempre se intrometendo na organização da sociedade. 
- No inicio da nossa conversa, fazia referencia à pessoa do Sr. João Bernaldo, que pelo visto destacou-se como figura de influencia neste processo. Fale-nos um pouco mais sobre ele. 
- Então vamos lá! Casado com D. Maria Vieira J. Santos, muitos filhos e filhas formavam um casal de respeito e uma família exemplar. Um home honesto, religioso, partidário da caridade, defensor da fé e dos bons costumes. Residente no Sitio Caroá na comunidade de Pontal, mais nem tinha distância pra ele se fazer presente nua atividade religiosa, bastante pra fazer presente numa atividade religiosa, bastando pra isso, receber convite antecipado com tempo suficiente pra se programar.
- Nossa ultima pergunta, por enquanto. Porque a festa era em louvor a N.S. da paz? Havia alguma turbulência na região?  
- Não, havia sim uma preocupação do grupo em encontrar os meios mais seguro de se reuni envolvendo algum deles e demais pessoa da comunidade.
- Oh! Muito obrigado e vamos aguardar o desfecho dos fatos.

Livro: São Gonçalo do Mulungu - Cenário de Mitologia, Fé e Compromisso
Fotos: Eri Franklin




quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

O MUNDO QUE QUEREMOS


México, pelos alunos de 4 ª série IPPLIAP, Anahí Lina Solis e Pérez Eloisa.

Primeira Festa Popular do Ano - Juazeiro da Bahia


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O que é a Economia Criativa?

Seu Bá, O Delegado Bom.


José Guilherme da Cunha
Apolinário Pereira Xavier é o seu nome. Mais conhecido como Bá, assim como Antônio é Tonho, Manoel é Né e Waldemar é Vavá. Homem inteligente e de razoável cultura, comparando-se com o meio em que vive e ao seu incipiente curso primário, seu Bá costuma ler escritores célebres, como Victor Hugo, José de Alencar e Euclides da Cunha, não perdendo oportunidade para citá-los numa conversa informal. Mas o que mais o caracteriza é a sua natural vocação para a concórdia. Seria um excelente Juiz de Paz. Como delegado de polícia, esteve sempre em contradição com a tendência à violência inerente ao cargo que ocupava.
Seu comportamento nas audiências - sempre procurando a justiça e os bons conselhos - dera-lhe os apelidos de “Beato Zé Lourenço” e “Antônio Conselheiro”.
Seu Bá não é mais o delegado. Agora, os “casos” de Juremal vão para a delegacia de Juazeiro; e o povo - lamenta a falta do “Beato” e do “conselheiro”.
Dezesseis anos como delegado, não constituiu uma inimizade sequer.
Certa Feita ele prendeu Luís Carlos. Horas depois o libertava, “porque foi o ante mais infeliz que já em Juremal” - dissera seu Bá e acresentava: - “Toda vez que eu prendo alguém, na saída da delegacia já agarram em meu paletó diversas pessoas, pedindo pelo preso. E ninguém pediu por você. Vá-se embora. Você é muito infeliz...”
Acredito que, na histôria das crônicas policiais, foi a primeira vez que alguém foi livertado por ser infeliz.
Era assim o delegado Bá: Bom, justo e respeitador consciente dos Direitos da Pessoa Humana.
LIVRO: Esquina de Badu - José Guilherme da Cunha

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

José Guilherme da Cunha - Esquina de Badu

José Guilherme da Cunha, escritor formado em Arquitetura, nasceu em Juremal distrito de Juazeiro. Tem vários livros: "Guerra de Canudos em Cordel" livro premiado, "Esquina de Badu" o mais famoso de todos, que virou peça de teatro e agora vai virar filme dirigido pelo produtor cultural Cidinho. O Teatro de Juremal tem seu nome.
No livro "Esquina de Badu" José Guilherme  escreve sobre o dia-a-dia da sua comunidade, sobre o que é mais precioso a memória de um povo. Viu o Capitão América derrotar os  heróis da sua comunidade: Lampião, Antônio de Sousa e Corisco todos eles surgido do seio do povo.
"A este povo heróico, que não esmorece diante 
de tanta pobreza e abandono"
José Guilherme

domingo, 6 de janeiro de 2013

sábado, 5 de janeiro de 2013

Lívia Campos a Grande Estrela do 15º Festival Edésio Santos

Ela foi a estrela maior, brilhou, encantou! A cantora menina Lívia tem evoluído a cada dia. O publico se rendeu a voz da grande cantora. Ela cantou, encantou Juazeiro e certamente vai continuar brilhando daqui pra frente. 
Lívia Campos canta com a Banda Mirage, que tem uma forte tradição musical  o grupo é formados por  músicos de grandes qualidades. É uma verdadeira escola.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

1º Seminário Internacional de MMA do Vale do São Francisco.


Nos dias 5 e 6 de Janeiro de 2013 a Campeã do Strikeforce Women’s Middleweight Championship  “Cris Cyborg” estará ministrando o 1º Seminário Internacional de MMA do Vale do São Francisco. O seminário será realizado na UNIVASF-Campus Petrolina-PE das 8:00 as 10:00h onde  serão abordados assuntos da esfera do MMA, Muay Thai e da arte suave. Descoberta em 2004 por Rudimar Fedrigo da CHUTE BOX ACADEMY (Equipe da qual faz parte até a atualidade), após quatro meses de treino de Muay Thai teve sua primeira luta de MMA saindo vencedora.Cris Cyborg fez sua estreia nos Estados Unidos no MMA em 26 de julho de 2008 no campeonato ‘ELITE XC”  vencendo sua oponente Shayana Baszler por nocaute técnico no segundo round. Desde então coleciona em seu cartel  11 Lutas; com 10 vitorias sendo 1 por nocaute, 7 por nocaute técnico, 2 por decisão unânime dos juízes e 1 derrota (no contest).

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

AFRICANOS


Estima-se que aproximadamente cinco milhões de negros foram trazidos à força da África para o Brasil sob a égide de regimes escravocratas. Seu sangue e suas heranças, contudo, contribuíram decisivamente para a formação da identidade do povo brasileiro. Com depoimentos de personalidades e historiadores, o documentário revela a trajetória da resistência negra no país. Aborda temas como os quilombos, a capoeira e Salvador, e, ainda, levanta questões cruciais como o racismo e a presença do negro na política, na mídia e na educação.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

"Ao receber esta honraria agradeço a Deus ter me escolhido para esta nobre missão e peço a Ele que me dê força, humildade e sabedoria para seguir em frente, trabalhando para melhorar a vida da nossa gente."

"Estamos hoje aqui escrevendo uma nova página na história de Juazeiro. Pela primeira vez a nossa população concedeu a reeleição a um prefeito."
"Vamos melhorar o apoio ao homem do campo, que ainda sofre com os efeitos da estiagem. Doze novas adutoras estão em construção no interior, através de parcerias com os governos estadual e federal."
"Juazeiro é hoje uma das cidades que mais emprega na Bahia; Juazeiro recebeu o prêmio de Prefeito Amigo da Criança da Fundação Abrinq e o selo do Unicef pelo acerto das políticas públicas de proteção às crianças e adolescentes."
"Juazeiro não crescerá com brigas e vaidades pessoais à frente do interesse público. Juazeiro precisa de paz política para alavancar seu desenvolvimento econômico e social. Vamos praticar o que diz o nosso hino....Juazeiro terra amada, lutarei por teu progresso..."

O Bom Jesus dos Navegantes - Festa 2013

A tradicional procissão do Bom Jesus dos Navegante é a primeira Festa Popular de Juazeiro. O dia foi marcado com Missa , muitos pedidos dos fiéis e muita devoção. Estava presente o Padre Josemar, o Engenheiro Agrônomo Ermi Ferrari Junior, que hoje organizam a festa, junto com  a Igreja Católica.. O  Cortejo da Festa do Bom Jesus dos Navegantes seguiu pela Orla da Cidade até a Catedral de Juazeiro.
Teve a participação da grandiosa Banda da Policia Militar de Juazeiro e Missa Solene, celebrada pelo Padre Josemar na Catedral Nossa Senhora das Grotas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia