domingo, 31 de março de 2013

terça-feira, 26 de março de 2013

domingo, 24 de março de 2013

Titãs - Comida

Os Penitentes - Cordão de D. Rosa na Vila Euza em Juazeiro da Bahia

 As alimentadoras de Almas chegando a residência de D. Iracema, senhora que fez  promessa para receber os Penitentes.
A casa de D. Iracema fica na Vila Euza, onde os Penitentes cantam seus benditos e suplicam perdão pelas almas e rezam por todos que já se foram.

Os Penitentes na casa de D. Iracema na Vila Euza em Juazeiro.
O Cordão dos Penitentes  seguindo para residência de D. Rosa encerrando mais uma noite de penitência. 

sábado, 23 de março de 2013

Juazeiro - 1967

As Flores do Jardim de Loucos - Exposição de Mandalas

Senhoras e senhores sejam bem vindos à exposição de Mandalas
 "As Flores do Jardim de Loucos".
Uma Mandala é uma rosa. Uma flor. Melhor seria dizer: "também é!" porque uma Mandala é muito mais que isso. Mandalas seguem o homem quase desde o seu aparecimento na terra, e vão acompanhá-lo até o final da sua experiência aqui. É circular como a visão que se tem dos astros, um olho que olha enquanto é olhado. Algumas pessoas dizem que quem olha uma Mandala faz uma viagem para dentro de si, logo, a Mandala é uma chave de portal para o mundo às vezes mais distante e mais perto: o coração. 

D´Paula Mello é um criador de Mandalas e poeta. Suas Mandalas são versos em imagens coloridas, como ele mesmo diz: "um jardim de loucos", um belo e colorido jardim, de loucos que anseiam a paz, a serenidade, a ligação com a força primeira. Em suas Mandalas é fácil ver o verso, a palavra que não é preciso que seja dita, a dança circular sagrada, a ciranda mágica das cores. Organizadas a partir de um ponto central, as Mandalas de D´Paula Mello remete a simbologia com a unidade, o "um", o cosmo e sua miríade de ramificações. A totalidade. 
Como forma artística, de representação, a Mandala surge na índia, e em sânscrito quer dizer Círculo, ou "aquilo que circunda um centro". Mas desde sempre as Mandalas servem ao homem: foram utilizadas para construir cidades, ornamentar objetos, jóias, estamparias e catedrais. É também sabido que elas ajudam na concentração mental, e estão belamente representadas desde a arte rupestre até o conhecidíssimo símbolo Yin e Yang. Todas as danças circulares sagradas, cuja representante popular mais conhecida é a "ciranda", é nada mais nada menos que uma Mandala em movimento. A célula, qualquer que seja, é uma Mandala. O ovo é uma Mandala. O caule cortado de qualquer árvore mostra uma Mandala. Está provado também que as Mandalas vibram e alteram o campo vibracional do que elas atingem, produzindo um campo de força, elevando a consciência, estimulando a memória, equilibrando os chacras, despertando o amor e provocando a cura e a paz.
 
O conselho de quem vive com Mandalas é de que se deixe as Mandalas expostas em um lugar onde todos possam ser beneficiados, visto que uma Mandala transmuta a energia negativa de um ambiente em positiva. Nas palavras de D´Paula Mello sobre a exposição, ele diz: "Jardim de Loucos é uma coletânea poética dividida em dois volumes, e a relação com Mandalas é que desejava algumas ilustrações para determinadas poesias. Então desenhei algumas, e ao final decidi passá-las para telas, e não usar como ilustrações, e elas representam os mais diversos sentimentos. Sejam bem vindos e conheçam as cores do meu "Jardim de Loucos".


D´Paula Mello é de São Paulo, escritor, autor de dois livros de poesia (Jardim de Loucos e Retorno ao Jardim de Loucos), artesão e artista plástico. Atuou também em publicidade por dez anos e atualmente é  Palestrante e Qualificador  para prestadores de serviços.
Lupeu Lacerda
Poeta e Escritor

quinta-feira, 21 de março de 2013

Homem


A animação em Flash fala da relação do Homem com a Natureza.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Secretário de Educação e Chefe de Gabinete prestigiam posse da nova diretora da Direc 15

Por Anna Monteiro / Seduc
O secretário de Educação e Esportes de Juazeiro, Clériston Andrade, e o Chefe de Gabinete, Roosvelt Duarte, prestigiaram a solenidade de posse da nova titular da 15ª Diretoria Regional da Educação, Ednalva dos Santos (Biquinha), que aconteceu no Centrode Cultura João Gilberto. Os dois representaram o prefeito Isaac Carvalho que estava em Salvador para tratar de um contrato com uma empresa Call Center que se instalará na cidade.
Além dos citados, um grande número de educadores, representantes do governo, do Partido dos Trabalhadores (PT) e de grupos aliados, amigos, familiares e simpatizantes à causa da educação participaram e aplaudiram de pé a mulher que irá dar novos rumos ao setor e já estabelece em seu primeiro discurso a necessidade do diálogo e da pactuação com os nove municípios que compõem a 15ª regional. 
Muitas foram as homenagens e reconhecimento ao trabalho de Biquinha, que até então ocupava na SEDUC o cargo de coordenadora do Núcleo de Formação da Escola de Formação de Educadores de Juazeiro (EFEJ). As colegas de trabalho, consideradas sua segunda família, falaram da saudade e do legado que ela deixará. “Vamos sempre lembrar do seu incentivo à pesquisa e da importância de darmos devolutivas sempre sólidas para construção de uma educação de melhor qualidade que tornou-se prática comum no nosso núcleo”, destacou a formadora Lindsay Amaral.
O secretário Clériston Andrade falou sobre o orgulho de tê-la no cargo. “Sabemos da sua competência, do comprometimento com a educação e reconhecemos o trabalho que ela realizou como integrante da nossa política de valorização do educador, que inclui as formações como fator primordial. Então, nos honra muito ter uma pessoa que pensa educação como nós à frente da Regional”. Sobre as expectativas, o titular da pasta acredita serem muito positivas. “Sem dúvida será um novo tempo, de diálogo, abertura e parceria”.



O Chefe de Gabinete Roosvelt Duarte desejou sabedoria, serenidade e discernimento para que os erros do passado não se repitam. “A Direc 15 tem um papel relevante na nossa região e essa importância tem que ser reconhecida. Essa regional não tem que ser um fim em si mesma, mas um meio para auxiliar, de fato, a educação. Então, acredito que a escolha de Ednalva foi bastante sábia, pois, sem dúvida, o diálogo será retomado”, avaliou o representante do governo que na oportunidade também agradeceu a Antônio dos Santos, que assumiu interinamente a diretoria nos últimos três meses.
Todos que compuseram a mesa também deram boas vindas à nova diretora da Direc 15 e ressaltaram seu trabalho como militante da educação e do social. De acordo com o presidente do Diretório Regional da Bahia do PT, Jonas Paulo, a escolha representa bem o novo momento. “O PT está no governo federal há 10 anos e no estadual há 6. Em conversa com o governador estabelecemos que daríamos uma chacoalhada na educação do estado e deixaríamos uma marca também nesse setor. Entendemos que a escolha de Biquinha travará esse diálogo, necessário às mudanças, com os municípios do território do São Francisco”.
Com sua alegria e bom humor de costume, Ednalva dos Santos, a Biquinha agradeceu a cada uma das referências, inclusive à Secretaria de Educação, a qual considera seu berço, onde aprendeu a ser mais humana e compreensiva. “A convite de Clériston voltei à secretaria e na EFEJ formamos a equipe do abraço, uma segunda família. Acredito na escola pública, pois estudei e trabalhei nela e defendo que a gente não pode se negar a fazê-la cada dia melhor. Essa experiência e todo o mundo do trabalho, principalmente com os ‘diferentes’ me constituíram essa pessoa alegre e mais capaz, que pretende seguir adiante e fazer a diferença com um trabalho, essencialmente, de equipe”, finalizou.

Se todos fossem iguais a você

Despedida - Equipe da EFEJ

Encontros e despedidas

Nova Diretoria assume a DIREC15

Aconteceu no Centro de Cultura João Gilberto a posse posse da nova titular da 15ª Diretoria Regional da Educação, Ednalva dos Santos Biquinha. 
Com a participação de amigos, professores estaduais e municipais, Jonas Paulo Presidente do PT  na Bahia, Deputado Paulo Rangel, do Secretário Municipal da Educação, Clériston Andrade e o Chefe de Gabinete da Prefeitura de Juazeiro,  Roosevelt Duarte.
“A Direc 15 tem um papel relevante na nossa região e essa importância tem que ser reconhecida. Essa regional não tem que ser um fim em si mesma, mas um meio para auxiliar, de fato, a educação. Então, acredito que a escolha de Ednalva foi bastante sábia, pois, sem dúvida, o diálogo será retomado” Roosevelt Duarte
Ednalva tem uma grande aproximação com os movimentos sociais.
“Sabemos da sua competência, do comprometimento com a educação e reconhecemos o trabalho que ela realizou como integrante da nossa política de valorização do educador, que inclui as formações como fator primordial. Então, nos honra muito ter uma pessoa que pensa educação como nós à frente da Regional”.
Clériston Andrade
“A convite de Clériston voltei à secretaria e na EFEJ formamos a equipe do abraço, uma segunda família. Acredito na escola pública, pois estudei e trabalhei nela e defendo que a gente não pode se negar a fazê-la cada dia melhor. Essa experiência e todo o mundo do trabalho, principalmente com os ‘diferentes’ me constituíram essa pessoa alegre e mais capaz, que pretende seguir adiante e fazer a diferença com um trabalho, essencialmente, de equipe”Ednalva Santos

quinta-feira, 14 de março de 2013

domingo, 10 de março de 2013

A EVOLUÇÃO HUMANA


Mariene De Castro - Um Ser De Luz

17ª Caminhada da Mulher

A 17ª Caminhada da Mulher teve sua concentração no CIAM - Centro Integrado Atendimento à Mulher, é percorreu as principais ruas da cidade.
Com muito entusiasmo e orgulho elas protestaram e exigiram seus direitos. 
Centenas de Mulheres engajadas no movimento da luta  contra a  violência à mulher, levaram  mensagem de protestos e reconhecimento.
A Caminhada teve o apoio da Polícia Militar, Guarda Municipal, Polícia Civil, Prefeitura Municipal de Juazeiro, Pastoral da Mulher e da Banda da Policia Militar.

Rubem Alves, O Professor de Espantos

sábado, 9 de março de 2013

JUAZEIRO DA BAHIA, PRECISA DE UM HUGO CHAVEZ! ( estamos chegando lá? )


Não há ponderações. Nem lógicas para isso. O Presidente Hugo Chavez morre e com ele toda uma Venezuela, as Américas sucumbidas e estropiadas, as áfricas esquecidas e escarniçadas, orientes médios ameaçados, os mundos subterrâneos. Hugo Chavez visionário sonhador e prático, defensor ardoroso das igualdades ,voz relevante dos desamparados, desentetados, descamisados, desassalariados, descomidos ( me ajude, faltam alguns dos DES, ainda? Saudades de você, meu leitor e do blog. ) por acaso ou orgulho próprio. Muito pelo avesso ao contrário povo humilde e América ( Brasil no contexto ) cada vez decadente e maltrapilho. Peitou a todos. Peidou a todos. A todos os ditadores de sua própria casa e a todas as existencialistas imperialistas: americanas, francesas, britânicas, alemães, holandesas, espanholas, ocidentais de nutirão. Principalmente, lógico e claro, o ianquismo estadunidense. 
Como foi possível, leitor amigo de volta,um golpista iniciante em seu próprio país tornar-se o que tornou-se? Líder máximo de uma revolução populista democrática? 
Simples: o golpe foi o maior desfecho das historias das américas, pós revolução cubana. Trouxe à tona um verdadeiro governante de um povo, para um povo, por um povo. A figura extravasou a fronteira de sua nação, e o mundo estonteou. Hugo Chavez estonteou o mundo. Eis a pura verdade. Por uma simples e complexa filosofia sartreana existencialista : 
COMO SER A VENEZUELA UM DOS PAÍSES COM A MAIOR RESERVA E EXPORTAÇÃO DE PETRÓLEO E CONVIVER COM O SEU POVO NA MISÉRIA? FOME, DROGAS, GANGUES, ANALFABETISMO, VIOLÊNCIA, DESEMPREGO E AS MAIS MAIS ARBITRARIEDADES DE VIVÊNCIA DESUMANA? 
Nacionalizou o petróleo e reverteu essa grana, antes extorquida, em prol da nação verdadeira, da libertação do seu povo dizimado, miserável. 
Hugo Chavez virou um mito. Com toda a razão, louvor, estimação, adoração, veneração, comoção. Leitor, cá contigo no travesseiro, vosmecê é contra isso? 
Ditador? Pois, sim. Quisera eu que todos o fossem desse quilate de ouro. 
Leitor, o chamo com saudades de tempos, não sou radical, mas, confesso que adorei quando ele mudou a Constituição. Ah, ahzinho, elazinhas, as leis foram elaboradas, mantidas e executadas de acordo com os mandatários milionários do país, as burguesias e elites, os safados e salafrários, os escrotos empalitozados, com as bênçãos do Nosso Senhor Clã Infernal Americano e Ocidentalista. Puros, da mais alta pureza, satanases terrestres. Parecidíssimo com a do nosso ( ? ) Brasil militarista e a direita reacionária feroz, via, ACM Neto, Aleluia, Gedel, etc. 
Confesso, também, que adorei o histórico discurso na Organização das Nações Unidas ( ONU ) onde, antes tinha havido despalavras do presidente americano Bush, ele me brindou: “O diabo esteve aqui ontem. Ainda sinto o cheiro do enxofre “. Lindas profecias contra o governo ianque que sempre impôs aos países pobres o medo, a aniquilação, o subalternalismo, a porcaria, a sacanagem, a escória. Não dão folga nem na moda, na música, no cinema e na Coca- Cola. 
Fidel Castro , Lula ( volte logo a si , cara ) , Evo Morales, Hugo Chavez, Dilma, são ressuscitamentos heróicos, autênticos, responsáveis, ideológicos e libertários das Américas fedidas, fo..., escravizadas, tempos e tempos. Por americanos e ocidentais. Orientais, como se já não bastasse, chegando no pedaço com seus carros importados e $1,99. 
Evo, Fidel, Lula, Chavez, sustentáculos seguidores dos ideários libertadores de um Sandino, Bolívar, Che Guevara, Mariguella, Lamarca. Viva Hugo Chavez! Sonho com ele ressuscitando em Juazeiro. 
Querido leitor, que me esperou tanto no blog, olhe que estou triste pela dúvida: 
Fidel Castro – câncer 
Hugo Chavez – câncer 
Dilma – câncer 
Lula – câncer 
Os baluartes da nova democracia, ordem mundial e política popular das naçoes emergentes, todos com câncer. Será uma conspiração? Na água, alimentação, atmosfera, pressão atmosférica, familiar, militar nuclear, anti-nacionalista, para tirar os grandes pais dos filhos necessitados? Tira-los do colo do seu povo? Será que será que será? 
Não duvido. Aliás, dos americanos, abestalhado é quem duvidar. Lembra, leitor, que jogaram “ festins “ atômicos e nucleares em Hiroshima e Nagasáki? E fizeram disso, e fazem até hoje, poesia, música, estátuas e heroísmos. 

Ai, ai , ai ai, Helenas 
Chavez se foi, Fidel Castro a poucos 
Evo, Lula, aos sufocos 
Estamos,eu, você e Juazeiro, a duras penas. 

Otoniel Gondim -- Professor, Escritor e Compositor. 
No radiowebjuazeiro

Chávez: a multidão vermelha faz história



por Rodrigo Vianna

A multidão nas ruas nem sempre é boa medida para avaliar um sistema político. Existem as multidões enfurecidas, as multidões conduzidas por ditadores. As multidões amorfas.

Acima, vemos a multidão vermelha que tomou as ruas de Caracas para se despedir de Chávez. Do alto, imagem que impressiona. Mas é preciso baixar à rua e olhar a história da América Latina para compreender de que multidão se trata.

De táxi, eu tentava me aproximar do Forte Tiúna – sede do comando das Forças Armadas da Venezuela, onde ocorre o velório de Hugo Chavez.  O motorista que me conduzia olhava a multidão nas ruas e dizia: “quanto estão pagando a essa gente para vir até aqui?”. Ah, os taxistas…

Desci do carro, segui a pé com o cinegrafista Josias Erdei. Multidões desciam dos morros. Mães com crianças de colo, homens jovens de mãos dadas com as mães já alquebradas pelas idade, pais conduzindo famílias inteiras pelas ruas. Tristeza, sim, mas sem desespero. E os gritos: “Chávez vive, la lucha sigue”.

Essa é a multidão da democracia, tantas vezes pisoteada na América Latina. Pisoteada no assassinato de Gaitán na Colômbia em 1948, no suicídio de Vargas em 54, nos golpes militares do Cone Sul dos anos 60 e 70. A multidão vermelha de Caracas é a mesma que baixou dos morros, em 2002, e garantiu o mandato de Chávez. Os golpistas tinham as televisões, os empresários, a classe média. Chávez tinha o povão. Ou seria o contrário: o povão tinha Chávez, e dele não abriu mão.

É preciso lembrar sempre: a multidão precede Chávez na história da Venezuela. Não foi Chávez que inventou a multidão, mas ao contrário: a multidão é que inventou Chávez.

1989. O governo neoliberal venezuelano anuncia um aumento geral de tarifas. A multidão, sem líder, sem controle, põe fogo em Caracas. O Caracazo era o sintoma de que a multidão retomava o fio da história que os idiotas neoliberais imaginavam extinto.

A multidão do Caracazo gerou o Chávez de 92: líder de uma rebelião frustrada. Depois, viria a vitória chavista nas urnas em 1998. E um governo sustentado pela multidão. Sempre.

Chavez é filho da multidão, por mais que dezenas de pessoas com as quais conversei nas ruas de Caracas tendam a ver o contrário: “era como um pai para nós”. Ah, a eterna necessidade humana de se proteger à sombra de um pai poderoso e justo. Mas quantas vezes são os filhos que – sem perceber – conduzem os pais!

A multidão vermelha de Caracas tem o fio da história nas mãos. Vejo cenas emocionantes nas ruas: gente que chora ao falar o nome de Chávez. E um bordão que se repete, mas que não se desgasta: “Chávez somos todos nós, Chávez é a multidão”.

Na fila que passa lentamente ao lado do caixão, senhoras desesperadas se debruçam, fazem o sinal da cruz. Soldados fardados batem continência. Mas às vezes tudo se inverte: o soldado chora, e mulheres batem continência ao “comandante”.

O taxista do começo do texto, coitado, faz parte de um outro mundo. Preso à lógica mercantil, acredita que as pessoas só se movem quando são “pagas”. Mas a multidão de Caracas se move por outros caminhos. A multidão de Caracas parece disposta a conduzir o fio da história.

Discursos derramados na TV. E de repente o aviso (chocante para mim, confesso) de que Chávez será “embalsamado”. Que apego à figura do líder! Chávez, preso numa urna de cristal, não pode fazer nada. É apenas uma alegoria – algo fantasmagórica – num país em que a história se escreve pela multidão: em 89 no Caracazo, em 2002 na reação ao golpe, em tantas e tantas eleições… E agora também na despedida do líder.

Dia seguinte, sexta-feira: a multidão interrompe sua lenta caminhada ao largo do saguão onde ocorrre o velório. Agora são os chefes de Estado que prestam homenagem a Chávez. Simbolicamente, Nicolás Maduro ergue uma réplica da espada de Bolívar. E a deposita sobre o caixão.

Bolívar conduzia a multidão. Chávez foi conduzido por ela. A multidão vermelha de Caracas faz história.

Grupo de Jovens Rhuá - Piranga

Grupo de Jovens Rhuá da comunidade Perpétuo Socorro, CODEVASF , Paróquia Santa Terezinha, bairro Piranga em Juazeiro. Fizeram uma apresentação do Projeto Reis de Boi na praça da Bandeira, centro de Juazeiro.  Um Projeto Aprovado pela Funart.
O meu boi morreu / Que será de mim? / Manda buscar outro /
 Lá no Piauí.

O Reis de Boi é uma das mais antigas tradições culturais de Juazeiro.
O Folguedo Popular é uma homenagem aos Santos Reis.
Grupo de Jovens Rhuá (Sopro do Espírito) tem com coordenadores: Maurício Moisés 
 e Ana Karla. 
O Reis de Boi tem vários personagens: O Boi, Pai Francisco, Catirina, Doutor, Ema, Vaqueiro, Urubu, Etc.
O Grupo está de parabéns! Um espetáculo maravilhoso

quarta-feira, 6 de março de 2013

Charlie Brown Jr.


Charlie Brown Jr. em seu mais perfeito desempenho na produção do acústico traz seu carisma e a humildade completa esse cantor que fez por merecer com todo seu sucesso, confiram o DVD mais vendido da carreara de Charlie Brown Jr.

Mulher, uma conquista a cada dia! Igualdade, Participação e Respeito - 17ª Caminhada da Mulher em Juazeiro/BA.

08/03 às 16h - 17ª Caminhada da Mulher - Saída do CIAM percorrendo as principais ruas do Centro da Cidade, finalizando na praça da Bandeira;
- 09/03 às 08h - 9ª Grande Caminhada da Mulher na Zona Rural, Distrito de Maniçoba, com concentração no Posto Justino Mota - Vila Santa Inês;
- 19/03 às 08h - Palestra: Direitos da Mulher - Lei Maria da Penha - com Dra Rosineide - Delegada da DEAM.
Além destas haverá ainda vários outros eventos.
Maiores Informações: 74 3614-2028
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia