quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A CRIANÇA E O TEMPO - NIL VITURINO - EXPOSIÇÃO DE BRINQUEDOS

ORIGEM DA BONECA

A boneca (espanhol muneca) é tão antiga à história do homem e provavelmente as suas primeiras aparições em madeira ou couro foram na Pré-História.
Da antiga civilização Babilônica, como parte de um achado arqueólogo, foi encontrada uma boneca com braços articulados e também bonecas outras em túmulos de crianças do Antigo Egito, precisamente entre 3.000 ou 2.000 anos A.c.
Em muitas culturas, ela é um brinquedo associado às meninas, no entanto existem versões de bonecos, guardando ambos a forma humanizada.
Na Grécia antiga, antecedendo ao casamento a noiva ofertava á Deusa Ártmis uma boneca simbolizando o fim da infância.
Na Alemanha, além de ser usada como enfeite de Natal, foi criado a "Casa das Bonecas" no século XV e em Paris as bonecas reproduziam o aspecto das mulheres locais, através da Terracota de vidro e perucas feitas de cabelos humano.
Em finais do século XIX, Thomaz Édson criou uma boneca falante, que recitava orações e cantava.
No Japão a boneca vestidos com seda dourada, não são considerados apenas brinquedos, mas os símbolos da história do País, moldados em mármore, cerâmica e madeira.
Na África, é tradição oferecer a cada jovem uma boneca como presente para o primeiro filho que tiver.
No início do século XX, as bonecas com os rosto de Porcelana eram feitas exclusivamente para os adultos, reproduzindo fielmente as figuras da Corte da Sociedade em trajes de época.
A partir de 1869 às bonecas tradicionais presentes também, as folclóricas de pano, papel Machê, biscuit, usados na caracterização das marionetes. Logo após surgiram as Bonecas industrializadas em metal, Plástico duro, porcelana, vinil.
Algumas em destaque com características masculina como os bonecos: He-Man, Falcom, bonecos comando em ação e outras com aspectos femininos tão perfeitos quanto a Barbie (boneca Norte-Americana), a amiguinha a 1 lançada no mercado brasileiro em tamanho real de uma criança (83cm), a Pierina, que movia as mãos e girava os olhos.
A literatura infantil é fértil em povoar o imaginário pueril com bonecas e bonecos (Pinóquio, Emilia) no teatro, televisão, cinema e musicais.
As bonecas atravessam épocas e civilizações, representado valores humanos, históricos e culturais importantes. "Oferecer á criança brinquedos confeccionados com respeito e qualidade, é um gesto de amor que certamente deixará boas sementes para o adulto que virá"

EXPOSIÇÃO DE BRINQUEDOS - NIL VITORINO
A Criança e o Tempo - Museu Regional do São Francisco
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia