segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Celebração das Artes do Território - Shows

Existem muitos sinônimos para a palavra perseverança, um deles pode se chamar “Apocalypse-Reggae”. Formada em 1997, na periferia da cidade de petrolina-pe, a banda faz um encontro do reggae roots com a utopia que alardeia a vida de pobres e poetas. As canções do apocalypse têm atraído um püblico diversificado, porém sensível à grandes causas que desafiam o ser humano.
No primeiro trabalho, gravado em 2000, a banda apresenta sua inclinação para a crítica social e para a valorização de elementos da cultura regional, o que fica evidente nas músicas “do lado do morro” e “sutaque nordestino”, resistindo ao provincianismo, sem perder a ternura. 
Em 2003, surge o segundo cd: “o mar”, onde a afetividade é expressa em suas letras e melodias. Após participar de diversos eventos na região, a exemplo do festival rpv (rock para você), semana da consciência negra, festival do raiz e remix, festival da primavera (petrolina-pe) e do carnaval da paraíba (palco alternativo), surge o convite para um intercâmbio com um dos mais importantes núcleos do reggae no nordeste: a praia de canoa quebrada (fortaleza-ce); tio zé bá, vocalista e compositor do apocalypse reggae, transforma canoa num laboratório e campo de inspiração para os próximos trabalhos, revelando a maturidade e sensibilidade musical da banda.
A presença do apocalypse nos movimentos em prol da cultura afro-descente desperta em tio zé bá, maior sensibilidade para os tambores da musica negra. Foi o tempero ideal para esse novo trabalho da banda, “além do mar”, que sai da periferia cantando a paz, o amor e o sonho que herdamos da áfrica. O novo cd, apresenta doze músicas gravadas, a maioria, no estúdio da banda, “arc-resist”. As canções tratam de temas sociais, como o preconceito e o autoritarismo, o que fica evidente na música “25006-pe (eu não sei)"; problemas ambientais, retrados na canção “aquecimento global”; a condição do negro na sociedade, presente na música “tão negro” e temas românticos, como as canções “com você” e “vem, vem pra eu te ver”. As quatro últimas músicas desse novo trabalho foram gravadas em acústico, sinalizando o talento da banda para shows nos mais diversos ambientes. 
Gilmar santos (historiador) 
A Andranjos é uma banda de Rock Alternativo oriunda das cidades vizinhas Juazeiro-BA e Petrolina-PE. A banda surgiu no início de 2004 quando três amigos que tinha em comum o amor pela música resolveram se juntar e formar um grupo musical para tocar as musicas que gostavam. Com o passar dos ensaios e os shows, o projeto foi ficando mais sério. A cada show que faziam, a banda conquistava cada vez mais admiradores e fãs. Fãs esses que contribuíram para que a banda pudesse lançar o primeiro CD da banda em 2007, intitulado “Quando meu coração parar”. Após o lançamento do CD as canções da banda logo ficaram conhecidas e seus refrões eram cantados a cada show realizado.
“Procuro a paz e só consigo ver caos”
 foi uma delas, além da música tocante “Á dois minutos”, música que emocionou todos na gravação do disco, inclusive o amigo e produtor do primeiro disco da banda Albérico Jr. Já se fazem 7 anos que a Andranjos está na ativa, conquistando mais espaço na cena independente do nordeste e tocando em eventos cada vez maiores como a 16º (2010) e a 18º (2012) edição do Palco do Rock em Salvador – BA, onde a Andranjos foi selecionada entre quase 200 bandas de todo o Brasil para compor a grade dos 04 dias do festival que é referência em toda a Bahia e em todo Brasil por ser um dos principais eventos de ROCK independente.

Com shows também nas cidades de Exu-PE e Serra Talhada-PE pelo (Festival Pernambuco Nação Cultural), Floresta-PE (Grito Rock 2011), Feira de Santana-BA (Rock Clandestino). No ano de 2010 a banda foi selecionada para tocar no Umbuzada Sonora (FESTIVAL CONEXÃO VIVO) e no Raiz & Remix Festival na cidade de Petrolina-PE. Vale destacar também as diversas apresentações em TV e Rádios da região São Franciscana. Na coletânea nacional de bandas independentes lançada no ano de 2010 a andranjos também está presente junto com outras 19 bandas de todo Brasil. A música "Caos" foi a escolhida dos produtores da coletânea que já circula por todo Brasil. Através de suas canções a banda procura passar ao ouvinte a mensagem de que não devemos nos conformar com a atual situação em que se encontra o mundo em que vivemos. Que precisamos lutar, enfrentar os obstáculos encontrado no dia a dia. As composições buscam também fazer com que as pessoas não se calem diante da impunidade e também com que elas consigam a força necessária para enfrentar os seus próprios desafios e os seus próprios medos. Acreditando em um mundo melhor para todos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia