quarta-feira, 14 de outubro de 2009

NEM BANDIDO, NEM HÉROI

Na caatinga, no cerrado
O bando caminha de arma na mão
Suor escorre do corpo
Lutar é a sina, injustiça ou razão

Vivendo atarantado
Com coronéis perserguição
Mas com Maria Bonita
É xaxado, contentação
Em pleno sol do sertão

É Lampião
Nem bandido, nem herói é história
Sua valentia
Ficará para sempre na memória

O cangaço é quase nada
Comparado ao retrato da nação
Agora é que tem matança
Da natureza, da população
No campo ou na cidade
é fome, desolação
Volante só para pobre
Prá forte não existe não
Tradicional confusão


Muitas farras, punhaladas
Tiroteios e xaxados
Lampião produto do meio
Deixou coronéis agoniados

Para todos chega a hora
E mataram com traição
Aquela com traição
Aquele que foi na vida
O rei do cangaço do Sertão.

TEXTO: Leo Godoy



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Nego D'Água

O Nego D'Água

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

OS CONGOS - FESTA DO ROSÁRIO

Rio São Francisco

Rio São Francisco
Juazeiro Bahia